Gildélia

Entre uma venda e outra na manhã desta sexta-feira (24), a vendedora Gildélia Rosa recebia as orientações das agentes de endemias, no bairro Brasil. A equipe realizou uma ação educativa promovida pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya.

“É muito importante porque muita gente está por fora do assunto, às vezes, na correria do dia a dia, não se protege. Só trabalhando, não se protege, aí acaba sendo picado pelo mosquito porque não se protegem. Vou levar todas as dicas para a minha casa, para minhas filhas, meus pais, que são idosos”, disse a vendedora, que relatou ter tido dengue há cerca de dois meses.

Assim como Gildélia, várias outras pessoas também receberam orientações nas imediações da feira e uma faixa foi estendida no cruzamento das avenida Brumado e Integração. O bairro Brasil teve 7% no índice de infestação de alto risco para transmissão das arboviroses no último levantamento feito pela SMS, assim como o Morada dos Pássaros III, que registrou 11,95%. Lá no loteamento, as equipes fizeram visitas aos moradores, com o tratamento focal, com o uso de larvicida em reservatórios, ralos, vasos de plantas aquáticas, entre outros recipientes.

“De janeiro até agora, no mês de maio, mais de 10 mutirões foram realizados nesses bairros. Aqui nos mutirões a gente pega todos os agente de endemias e coloca pra fazer o tratamento focal. E mais importante do que o tratamento focal, que é tratar as caixas e os reservatórios, é a parte de educação e saúde que a gente faz, orientar os moradores sobre o que pode ser feito e o que não pode ser feito pra poder controlar e evitar as arboviroses”, explicou o supervisor geral de endemias, Edmilson Lima.

Morada dos Pássaros III

Nesta sexta-feira, a equipe também esteve nos terrenos baldios e o total de imóveis visitados no Morada dos Pássaros III foi 1.400, por meio do trabalho de 35 agentes em 33 quarteirões. Em um desses imóveis reside o motorista por aplicativo, Anderson Santos, morador do Morada dos Pássaros III há mais de 20 anos.

“É interessante porque às vezes a gente até faz o correto, mas pode ser que esquece alguma coisa, entendeu? E com a visita deles reforça mais, porque tem gente que faz sua parte, mas têm outros que não fazem, né? E aí eles aconselhando, pelo menos ajuda a inibir esse foco de dengue”, opinou o morador. Enquanto os agentes faziam a visita, o pequeno Leandro, de 6 anos, filho de Anderson, aprendia os cuidados. “Eu vou tirar a água dos vasinhos pra o mosquito não chegar em casa”, disse.

O mutirão continua no Morada dos Pássaros III e no bairro Brasil, neste sábado (24), a partir das 8h.