Nessa sexta-feira, 8 de março, Dia Internacional da Mulher, as entidades que fazem parte da Rede de Proteção a Mulher promoveram na Praça 9 de Novembro um ato público pelo fim da violência contra a mulher. Participaram do evento, o secretário municipal de Desenvolvimento Social, Miguel Felício, o capitão da Polícia Militar, Hilderim Lopez, e a coordenadora do Centro de Referência da Mulher Albertina Vasconcelos (CRAV), Angélica Andrade, além da população.

O secretário do Desenvolvimento Social, Miguel Felício, disse que a data simboliza uma luta histórica das mulheres em defesa de igualdade de oportunidades e defendeu a maior participação feminina nos espaços de poder. “Ao longo da história presenciamos alguns avanços para as mulheres, mas ainda há a violência doméstica. Por isso, precisamos cada vez mais fortalecer instrumentos de luta para as mulheres para que elas conquistem o espaço que lhe é justo na sociedade”, afirmou Miguel.

Coordenadora do CRAV, Angélica Andrade

Nesse sentido, a coordenadora do CRAV, Angélica Andrade, destacou a atuação do Conselho da Mulher e fez um apelo aos presentes: “Não deixem a violência acontecer, vamos assumir o compromisso de denunciar a violência doméstica, sabemos que juntos podemos muitos mais”, disse.

Durante todo o dia, as mulheres que compareceram à praça 9 de Novembro participaram de oficinas de artesanato, de aula de ginástica laboral e alongamento e receberam massagem anti stress, inciativas promovidas pelo Serviço Social do Comércio (Sesc). Além disso, as mulheres também receberam orientação dos serviços oferecidos pelo CRAV, do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) e do Centro de Referência em Assistência Social (CRAS). O ato foi encerrado com a apresentação musical da cantora Jeanna Lopez.