Grávidas e puérperas são do grupo de risco para transmissão do Novo Coronavírus. Muitas pesquisas ainda estão em curso e os dados são limitados quanto ao impacto da infecção nesse grupo, mas por conta das alterações no corpo e no sistema imunológico que acontecem nessa fase, o Ministério da Saúde decidiu redobrar a atenção e os cuidados com essas mulheres nesse momento de pandemia.

Aqui em Conquista, o grupo condutor da Rede Cegonha realizou no fim da tarde da última segunda-feira (13), uma reunião online para discutir e orientar os profissionais de saúde sobre os fluxos e protocolos de atendimento na Atenção Básica e na rede hospitalar do município. Além de também garantir o acompanhamento e disseminar as informações de cuidados e prevenção para gestantes e puérperas.

Neste momento de pandemia, o acesso à assistência pré-natal nas unidades de saúde está sendo garantida às gestantes do município, sem interrupção, como explica Gislany Silveira, coordenadora da área técnica de Saúde da Criança e do Adolescente da Atenção Básica: “As gestantes e puérperas tem suas consultas garantidas com horários definidos e previamente agendados e comunicados pelo agente comunitário de saúde ou por telefone, sendo que essas consultas tem intervalos maiores entre os atendimentos, reduzindo ao máximo o tempo de espera e evitando aglomerações”.

Na reunião também foi orientado sobre o rastreio e identificação precoce da Covid-19 durante as consultas de pré-natal, investigando a presença de sintomas ou contato recente com pessoas infectadas, para que seja feito o monitoramento imediato das gestantes e puérperas sintomáticas. Além de orientá-las também sobre o distanciamento social, adequada higiene respiratória, uso e retirada de máscara, e higiene constante das mãos e do ambiente.

Ainda de acordo com a coordenadora, ainda não há dados científicos de que ocorra a transmissão vertical (de mãe para filho) da Covid-19. A maior preocupação é a contaminação do bebê, a partir da mãe, após o nascimento. “Deve-se tomar cuidados no aleitamento, bem como nos cuidados iniciais para evitar expor o recém-nascido à contaminação”, orienta.

Todas as medidas que vem sendo adotadas são provisórias e poderão ser modificadas à medida que forem informadas novas orientações pelas autoridades de saúde do país.