Caminhões são abastecidos diariamente no manancial para percorrer os roteiros estabelecidos pela operação

Em razão da longa estiagem que atinge o município de Vitória da Conquista, a Prefeitura declarou situação de emergência, por meio do Decreto n° 22.184/2022, publicado no início do mês, no Diário Oficial do Município (DOM), nos 11 distritos: Bate-Pé, Dantilândia, Inhobim, São Sebastião, Cabeceira do Jiboia, São João da Vitória, Cercadinho, Iguá, Veredinha, Pradoso e José Gonçalves. Com a medida, 120 localidades rurais (cerca de 16 mil pessoas) são atendidas pela Operação Carro-Pipa (OCP).

A ação tem como referência o parecer técnico da Coordenadoria Municipal da Defesa Civil. De acordo com o órgão, o município, que possui mais de 85% de seu território dentro do semiárido nordestino, tem sofrido com a escassez de chuvas, o que aumenta a carência de água potável para a população da zona rural. Esse quadro, segundo os institutos de meteorologia, deve permanecer, acarretando em perdas significativas na lavoura e pecuária.

Mais de 120 localidades são atendidas pela operação

É o decreto, como explica o coordenador da Defesa Civil Municipal, José Antônio Vieira, que autoriza a adoção de medidas para assistir a população afetada. “Por meio dele, temos o convênio com o Exército Brasileiro, renovável a cada seis meses, para atender a população da zona rural, com a distribuição de água potável. É a chamada Operação Carro-Pipa (OCP), que é fundamental diante da estiagem que temos enfrentado”, disse José Antônio Vieira.

Segundo o coordenador, 16 carros-pipas são abastecidos até três vezes por dia, no manancial da empresa concessionária de serviços de saneamento básico, para transportar água potável para as mais de 120 localidades rurais, o que representa, aproximadamente, 16 mil pessoas beneficiadas na operação.

A lavradora Nalanda Souza mora com seus pais e mais três irmãos no povoado Boa Vista, distrito do Iguá, e é uma das pessoas beneficiadas pela ação. “É muito importante estarmos recebendo essa água aqui hoje. É ela que nós utilizamos para fazer a nossa comida. Tem sido muito seco aqui nos últimos tempos, então, ficaria muito difícil se não tivéssemos essa ação”.