Kátia Prado, ao lado de Cristiane Prado, explicou as potencialidades do Kinemaster

Em razão da pandemia, as relações educacionais passaram por mudanças significativas. Às ações de ensino, foi incorporada a utilização de redes sociais e aplicativos disponíveis para a grande maioria de pais e alunos e também professores.

O Whatsapp, aplicativo multiplataforma de mensagens instantâneas e chamadas de voz para smartphones, é um exemplo. E, por esse motivo, ele foi tema de uma das oficinas da Jornada Pedagógica: “Whatsapp: uma ferramenta, diversas possibilidades de comunicação e ensino”, com o professor especialista Joaquim Lacerda.

Entre outros aspectos do aplicativo, ele falou sobre o papel do professor no ensino com tecnologias da informação, como ensinar não estando próximo fisicamente e o desafio de manter o contato durante a pandemia. “É importante saber usar a ferramenta, mas ser também o agente dela adaptando-a as especificidades dos alunos, dos anos”, pontuou Joaquim.

Outra ferramenta abordada foi o Kinemaster, um editor de vídeos e fotos para os usuários de Android, em uma oficina com as professoras especialistas Kátia Prado e Cristiane Prado. “Essa é uma ferramenta rica para ser explorada pelo professor porque possui uma infinidade de recursos, que nos auxilia na elaboração das aulas e a estarmos mais próximos aos alunos”, assegurou Cristiane.

Inclusive, para Kátia, que é professora da Rede Municipal, os vídeos criados a partir do Kinemaster auxiliaram na relação dela com os alunos durante a suspensão das aulas presenciais como medida preventiva ao coronavírus. “Utilizei muito os vídeos para intervenções, correções porque o visual colabora muito para o processo ensino-aprendizagem e o retorno foi bem positivo. O Kinemaster foi uma ferramenta a mais para melhorar o fazer pedagógico”.