Participantes de vários municípios baianos estiveram reunidos no Centro de Convenções Divaldo Franco, desde a última segunda-feira, 4, para discutir a Educação Integral. Na manhã de quarta, 6, último dia do evento, os participantes do IV Seminário Estadual de “Educação Integral: trilhando caminhos nos territórios baianos” puderam conhecer a experiência do programa que visa induzir a ampliação da jornada escolar e a organização curricular na perspectiva da Educação Integral de Vitória da Conquista.

Rodrigo Ferreira

Em 2010, o programa foi implantado em 27 escolas do município. Atualmente, está presente em 113 das 174 instituições da Rede Municipal de Ensino. “Na Bahia, em números de escolas, a gente só está atrás da capital. Estamos na zona urbana e rural, sendo a maior parte no interior, atendendo inclusive as nucleadas. Outra particularidade é justamente pela zona rural ser tão grande, com diferenças de outros municípios bem peculiares, porque às vezes temos escolas no interior com 900 alunos matriculados”, comentou o coordenador do programa em Vitória da Conquista, Rodrigo Ferreira.

Durante o evento, Rodrigo expôs ainda o trabalho do Núcleo Pedagógico da Secretaria Municipal de Educação que realiza um projeto piloto de capacitação permanente dos monitores de letramento. “Foi um projeto bem visto. Nós acompanhamos as escolas, dando formação semanal aos monitores de letramento para trabalharem diretamente com os alunos, a fim de efetivamente produzir um avanço nessa parte”, comentou o coordenador. O Núcleo Pedagógico também promove ações de suporte educacional qualitativamente, orienta ações em parceria com coordenadores lotados nas unidades escolares e oferece formação continuada aos professores da rede.

Gesuína Leclerc

Avaliação positiva – Uma das palestrantes do IV Seminário de Educação Integral, a pedagoga, doutora em Educação Popular, Comunicação e Cultura e representante do Ministério da Educação, Gesuína Leclerc, fez questão de ressaltar a originalidade do evento. “Este seminário em Vitória da Conquista é inédito no Brasil por ser uma decisão e uma organização autônoma dos próprios municípios que se cotizam e criam relações solidárias para debater tema comum à implantação de um programa que não tem um fim em si mesmo”, declarou.

Durante o evento, Gesuína destacou ainda o papel do Comitê Territorial de Educação Integral. “O território, como dizia Milton Santos é a seiva dos lugares, é onde o cidadão tem voz, tem vez e coloca suas pautas, suas razões e suas propostas. O Comitê possibilita uma relação face a face, que torna a gestão das políticas públicas mais concretas”, comentou.

Emanuele Monteiro

A coordenadora do programa de introdução e a ampliação da jornada escolar do município de Jussari, Emanuele Monteiro, também avaliou o evento positivamente. “É o terceiro encontro que participo via comitê. Este momento é ímpar para que a gente possa discutir o programa de uma forma mais eficiente. Está sendo muito bom, inclusive estava parabenizando Rodrigo que é nosso anfitrião. Está tudo muito organizado, as propostas estão sendo discutidas da forma que a gente esperava e atendendo todas as nossas expectativas”, disse a participante.