A atuação do município na proteção à criança e ao adolescente de Vitória da Conquista continua atraindo a atenção de instituições e órgãos da área social e judiciária do país. Na sexta-feira (24), o interesse partiu do Fórum Nacional da Infância e da Juventude (Foninj), ligado ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Michael, secretário da Semdes, e Flávia Pessoa, presidente do Fórum Nacional da Infância e da Juventude do CNJ

Com objetivo de conhecer a experiência conquistense, a presidente do Foninj e conselheira do CNJ, juíza Flávia Moreira Guimarães Pessoa, se reuniu por meio de plataforma virtual, com o secretário municipal de Desenvolvimento Social, Michael Farias, e o assessor da ChildHood Brasil, Benedito Silva.

Durante o encontro, Michael fez um relato sobre a implementação em Vitória da Conquista da Lei da Escuta Protegida que tem por meta a não revitimização de crianças e adolescentes vítimas ou testemunhas de violência. Além da integração de toda rede de atendimento de crianças e adolescentes, o município será o primeiro do Nordeste a contar com um Complexo de Escuta Protegida.

“Nós iniciamos as discusões de implementação da lei em 2019; em 2020 nos concentramos na construção do complexo, criação do comitê, agora em 2021 concluímos o fluxo de atendimento integrado e já estamos finalizando o protocolo. Estamos com expetativa de entrega do complexo na primeira quinzena de julho”, explicou Michael.

A conselheira parabenizou a Prefeitura de Vitória da Conquista pela iniciativa que servirá de modelo para outras cidades. “Quero dar parabéns à Prefeitura pela iniciativa, porque sei que não é fácil esse trabalho que depende de muita vontade política para acontecer”, destacou Flávia Moreira.

Veja também:

Primeiro Complexo de Escuta Protegida do Nordeste é concluído

Complexo de Escuta Protegida de Vitória da Conquista é referência para outros municípios do Brasil

Vitória da Conquista se torna referência na implementação da Lei de Escuta Protegida de Crianças e Adolescentes