Dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelam que a maioria das cidades brasileiras não trata de maneira adequada o lixo gerado pela população. De acordo com a pesquisa, em 50,8% dos municípios os resíduos são jogados em lixões a céu aberto, onde permanecem sem nenhum tipo de controle.  Em Vitória da Conquista, por conta do compromisso do governo municipal com o meio ambiente e com a saúde da população, a situação é bem diferente.

Desde 2009, o município solucionou definitivamente o problema da destinação final do lixo, com a construção de um dos maiores e mais modernos aterros sanitários do país. O local possui toda a estrutura necessária para depósito, compactação e tratamento dos resíduos produzidos na cidade. Para a construção do equipamento, reivindicado pela população nas plenárias do Orçamento Participativo (OP), foram investidos cerca de R$ 1,4 milhão de recursos da Fundação Nacional de Saúde (Funasa).

Diariamente, cerca de 290 toneladas de lixo são encaminhadas ao local. Todos os resíduos são aterrados em área específica e a compactação e cobertura são feitas de forma imediata. Para garantir a operacionalização adequada do aterro, a Prefeitura Municipal ofereceu um curso de capacitação para servidores municipais das secretarias de Serviços Públicos, Meio ambiente e Infraestrutura, preparando-os para desenvolver um trabalho eficiente e seguro.

“O aterro veio contribuir para a melhoria das condições da qualidade de vida da nossa população. Trata-se de um esforço conjunto que tem dado certo, e que também contribui para que possamos evitar que nossa cidade esteja suja a ponto de disseminar doenças”, explica o secretário municipal de Serviços Públicos, Élvio Dourado.

As comunidades que moram no entorno do aterro sanitário já não apresentam queixas com relação à presença de moscas, urubus ou de mau cheiro. A cobertura adequada do lixo e a constante vigilância dos técnicos da Secretaria Municipal de Serviços Públicos afastaram tais transtornos da área.

Cabe ressaltar que o aterro sanitário tem um papel fundamental na prevenção de doenças e na preservação do meio ambiente. Acumulado a céu aberto, o lixo pode provocar problemas de saúde, contaminar o solo e também a água. Por isso, um dos aspectos mais importantes do aterro sanitário de Vitória da Conquista é exatamente o processo de impermeabilização das células nas quais o lixo é depositado, medida que impede a contaminação dos lençóis freáticos.

Com a construção do aterro, o município se adequou, antecipadamente, ao que prevê a Política Nacional de Resíduos Sólidos. A lei proíbe a formação de lixões a céu aberto e determina que as prefeituras construam aterros sanitários até 2014.