Barragem na região da Cotia

Trabalho recompensado. Assim foi o empenho da Prefeitura de Vitória da Conquista que, por meio da Secretaria Municipal de Agricultura, construiu, no último ano, 11 barragens na zona rural. Depois das chuvas do último dezembro, todas as barragens encheram; o que anima os moradores do interior a começar 2014 aumentando a produção.

Dona Helena Maria de Matos

Só na região do distrito de Bate-Pé, foram construídas seis barragens, com capacidade média de armazenar 50 milhões de litros cúbicos. Moradores das regiões de Cotia, Matinha, Pindoba, Pau de Ferro I e II e Poço Feio agora comemoram a chegada das chuvas que, além de regar a terra, encheram os reservatórios que vão garantir a oferta de água quando o período chuvoso acabar.

Dona Helena Maria de Matos mora na região da Cotia há quarenta anos e se surpreendeu com a grande quantidade de água que agora tem à disposição. “Eu nunca tinha visto uma fartura dessa. Estou satisfeita porque tem muita água, graças a Deus. Tem água para lavar, pra beber, pra fazer tudo na casa. Não vai mais faltar, se Deus quiser. Estou muito satisfeita com o trabalho da Prefeitura, não acho o que falar”.

Barragem na região da Matinha

Satisfação – “Graças a Deus, nós começamos o ano com muita fartura de água, muita mesmo. Se Deus ajudar, assim vai ser, porque a ‘vasilha’ pra acumular água a Prefeitura já fez pra nós. Agora temos muita água. Não sei quanto tempo mais vou viver, mas vai ser uma vida satisfeita. Aí é água pra todo mundo. O pessoal todo está satisfeito. Quase toda semana vem alguém visitar e ver como ficou”, afirma dona Valdelice Santos do Prado.

Seu Generino Ferreira do Prado e dona Valdelice Santos

“Nós estamos tão satisfeitos com a grandeza que Deus mandou pra nós com a chuva. Graças a Deus o serviço foi muito bem feito. Quando as pessoas vêm visitar, a gente mostra e todo mundo vê que o serviço foi muito bem feito”, acrescenta seu Generino Ferreira do Prado, morador da Matinha.

Joaquim de Araújo e a esposa Maria Aparecida Vieira

Vida Nova – Para o agricultor Joaquim de Araújo, morador da região da Pindoba, a barragem cheia representa o início de uma nova etapa de sua vida. “Aqui pra mim, graças a Deus, veio outro mundo. Depois que Deus do céu abençoou que os homens construíram essa barragem pra nós, eu agradeço a eles que fizeram essa bonança por nós. A comunidade está toda satisfeita e eu fico muito alegre”.

Barragem em Pindoba

Às vésperas de casar a filha caçula, seu Joaquim e a esposa, Maria Aparecida, comemoraram a fartura de água que traz consigo a perspectiva de abundância na colheita. “Água tem bastante mesmo, para nós consumirmos e ter hortas pra comer verdura no período da seca. Agora a gente vai produzir e ter tanto pra gente quanto pra levar para dar para as pessoas que a gente gosta. É bom demais”, considera o agricultor.

“A barragem está muito bonita. Meu sonho era ver essa barragem. Eu fiquei muito alegre para fazer horta, plantar verdura, alface, temperos, abóbora, milho, plantar de tudo. Agora está uma fartura. Agora tem água pra todo mundo. Meu marido também trabalha na plantação. Nós temos nove filhos, vamos casar uma filha essa semana e agora tem água pra todo mundo”, conta Maria Aparecida Vieira.

Paulo Sérgio Almeida

Pindoba

A barragem a que o casal se refere armazenou aproximadamente 80 milhões de litros de água, depois das últimas chuvas. O equipamento construído pela Prefeitura beneficiou cerca de 120 famílias, 40 diretamente e 80 indiretamente. Famílias como a de Paulo Sérgio Almeida que sustenta a família com o trabalho na roça.

“Eu não tenho nem palavras pra explicar minha satisfação, porque essa barragem pra gente foi uma bênção. Hoje, graças a Deus, a gente tem essa água perto de casa. Com essa água, a gente pode fazer muitas coisas, plantações, até para criação de gado melhorou. É uma imensa satisfação, meu coração está feliz de saber que minha família não vai passar privação de água”, expressa o agricultor.

Em 2013, foram construídas 11 barragens pela Prefeitura Municipal ao longo de 2013. O trabalho realizado visa promover o desenvolvimento do semiárido, que corresponde a 63% da zona rural da cidade. A capacidade média de acúmulo de água é de aproximadamente 50 milhões de litros de água. É a garantia de fartura de água para a comunidade rural e a certeza de que ela tem a total atenção do Governo Municipal.