Participação da coordenadora-geral de Serviços Especializados a Famílias e Indivíduos do Ministérios da Cidadania

Um webinário com a participação da coordenadora-geral de Serviços Especializados a Famílias e Indivíduos do Ministério da Cidadania, Márcia Pádua Viana, foi a atividade principal da campanha municipal “Escutar é Proteger”, pelo enfrentamento à violência sexual contra crianças e adolescentes realizou, na sexta-feira (28). O evento debateu as dimensões teóricas e metodológicas da escuta especializada no Sistema Único de Assistência Social (SUAS) e teve a participação dos profissionais que atuam na Rede de Assistência Social do Município.

Durante sua apresentação, Márcia elencou os pontos principais da Lei 13.431/2017 (Lei da Escuta Protegida), a inovação que ela traz, a exemplo de uma nova lógica de integração da Rede de Proteção de Crianças e Adolescentes, e discutiu os principais pontos da escuta especializada que estabelece novos parâmetros para o atendimento integrado a crianças e adolescentes vítimas ou testemunhas de violência.

Segundo Márcia, Vitória da Conquista é exemplo para todo Brasil na implementação da Lei da Escuta Protegida. “Eu já conhecia um pouco da experiência de Vitória da Conquista, sabemos de todos esforços que o Município tem feito para que a proteção de crianças e adolescentes se materialize aí”, destacou Márcia que também falou sobre as ações do Ministério da Cidadania para implementação da Lei em todo Brasil: “O Governo federal fez um Pacto pela Escuta Protegida, elaboramos um guia e estamos preparando um curso EAD para Rede sobre Escuta Especializada”.

O secretário municipal de Desenvolvimento Social, Michael Farias, destacou a importância da discussão do tema no mês de combate à violência sexual contra crianças e adolescentes. “Nós sabemos pelos dados de atendimento que a violência sexual é dos principais tipos de violência sofrido por crianças e adolescentes, por isso, quando o município cria mecanismo para a implementação desta Lei, ele também está protegendo e combatendo este tipo de violência”, ressaltou Michael que também agradeceu os gestores da Educação e Saúde pela participação na campanha.

Veja como foi: