“É impressionante a qualidade da participação das pessoas nesta cidade”, disse Eleonora Lisboa

Aberta oficialmente na noite da última sexta-feira, 26, no Instituto de Educação Euclides Dantas, a programação da 5ª Conferência Municipal das Cidades continuou na manhã deste sábado, 27, com a leitura do regimento do evento e sua posterior aprovação pela plenária. Em seguida, passou-se à palestra ministrada por Eleonora Lisboa, da Superintendência de Habitação da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Urbano (Sedur).

Eleonora tratou do tema da 5ª edição da conferência: “Quem muda a cidade somos nós – reforma urbana já!”. A superintendente mostrou-se otimista quanto aos resultados práticos do evento, que discute políticas públicas para o desenvolvimento urbano das cidades. “Espero que nós possamos avançar na questão da política urbana implementada aqui em Vitória da Conquista”, afirmou.

Ao comentar os questionamentos que se seguiram à conferência, a superintendente da Sedur elogiou a postura dos delegados e observadores presentes: “É impressionante a qualidade da participação das pessoas nesta cidade”.

Essa participação popular, citada por Eleonora, costuma ser decisiva para que o Governo Municipal possa definir os próximos rumos a serem seguidos para o desenvolvimento urbano de Vitória da Conquista. “Isso tem dado certo, e as demandas apresentadas pelos delegados têm sido atendidas”, disse o líder comunitário Lucas Hipólito, presidente do Movimento Unificado das Associações de Moradores e também membro da Comissão Preparatória para a Conferência.

Presente à conferência e convidado a compor a mesa, o deputado estadual José Raimundo Fontes, avaliou as dimensões da Conferência Municipal das Cidades. “Devemos fazer desta conferência mais um espaço de consolidação da democracia e do diálogo”, afirmou.

Pontos de referência – A programação matutina foi completada com a formação dos quatro grupos temáticos, que se reuniram separadamente para debater as propostas de melhorias nos níveis municipal, estadual e federal, que, no período da tarde, seriam submetidas à aprovação da plenária. “Essas resoluções são pontos básicos de referência para que o Governo Municipal possa trabalhar”, explicou o coordenador municipal de Habitação Popular, José Cerqueira.