A manhã deste domingo, 13, começou animada para os moradores do entorno da Praça Mármore Neto, no bairro Brasil. No local, foi realizada a terceira edição do “Smed em Movimento”. Um projeto da Secretaria Municipal de Educação que leva, às ruas da cidade, as atividades desenvolvidas pelo Programa Escola Mais.

Além de aulas de dança, karatê e capoeira, como aconteceu neste domingo, outras atividades são realizadas, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, a exemplo da aferição de pressão, teste de glicemia, distribuição de preservativos e orientação sobre doenças sexualmente transmissíveis; com o Serviço Social do Comércio (SESC), através das oficinas de penteado, massagem, balão escultural e pintura facial; e com academias, como foi o caso da aula de swing, ministrada ao ar livre.

Leonardo Fernandes

O formador de teatro do Projeto Escola Mais, Leonardo Fernandes, foi o animador do “Smed em Movimento”. Ele fez questão de destacar os benefícios da atividade física. “Esse evento é para possibilitar à comunidade do bairro Brasil exercer atividades físicas, sendo que isso estará contribuindo para a saúde deles, pois sabemos que a prática de exercício físico ou de esporte reduz o risco de morte”, comentou.

Ana Paula Costa

A jovem Ana Paula Costa, 20, que pratica capoeira há seis anos e mora no bairro Jurema aprovou a ação. “É a melhor coisa incentivar a prática de esporte na cidade. Estou achando muito bom, participo desde o primeiro evento”, disse. Ela faz parte do Grupo de Capoeira Memória de Bimba que, como outros grupos da cidade, têm apoiado a ação.

Hilda Ribeiro

Os moradores do próprio bairro também gostaram do que viram. “Eu acho ótimo. Porque nós, que já somos de idade, e temos problemas de saúde temos a oportunidade de cuidar de nossa saúde, próximo de nossa casa”, disse a moradora da Av. Paramirim, Hilda Ribeiro, 75, que aos domingos acorda cedo e vai passear na feirinha do bairro. “Quando fui na feirinha e vi, voltei aferi a pressão e fiz o teste de glicemia”, acrescentou.

Edvaldo Bezerra

O mecânico Edvaldo Bezerra, 48, disse que faz exame regularmente, mas aproveitou o início da manhã para ver como está sua pressão arterial. “Muito boa esta atividade porque é aqui no bairro mesmo”, resumiu o morador da Av. Serrinha.