A Secretaria Municipal de Educação (Smed), por meio da Coordenação de Alimentação Escolar, está promovendo aos pais de alunos autistas uma palestra com o tema “Transtorno do Espectro Autista e Aspectos Nutricionais”, com a nutricionista da Coordenação de Alimentação Escolar, Karina Magalhães, especializada em alimentação para quem tem TEA. Ontem (17), a palestra aconteceu na Escola Municipal Padre Aguiar, e neste sábado (18), no Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Tia Zaza.

Durante a palestra, Karina abordou como os aspectos nutricionais podem influenciar no comportamento das crianças com TEA, principalmente no que pode ajudar, contribuir e melhorar a qualidade de vida. “De uma forma geral, tem os alimentos que podem atrapalhar, piorar os sintomas que normalmente apresentam, e há os alimentos que podem ajudar”.

Karina Magalhães

Grupos alimentares que devem ser evitados, por exemplo, são os industrializados, porque tem muito açúcar, aditivo, gordura saturada, hidrogenada. Karina explica que este tipo de alimento “pode aumentar a inflamação no corpo deles e piorar os sintomas. Por outro lado, tem os alimentos que chamamos minimamente processados ou in natura. São as frutas, verduras, os cereais integrais, proteínas de forma geral, como ovo, carne, frango e peixe. São alimentos ricos em nutrientes para a produção de neurotransmissores e assim melhorar o comportamento deles”.

A professora da Sala de Recursos Multifuncionais (SRM) da Padre Aguiar, Denise Badim Teixeira, disse que alguns alunos têm uma alimentação inadequada. Há um número grande de crianças com autismo na escola e boa parte tem seletividade alimentar. A alimentação correta é importante, porque não interfere no comportamento. Temos crianças mais agitadas e percebemos que a alimentação está influenciando. Hoje tivemos esta oportunidade, esta parceria com a Coordenação de Alimentação Escolar. A nutricionista está realizando este trabalho de orientação aos pais. É uma parceria muito importante para o desenvolvimento do nosso trabalho”.

O servidor público, Ednaldo Silva Gomes, pai do aluno Davi do Amparo Gomes, 10 anos, diagnosticado com TEA, estudante do primeiro ano Padre Aguiar, elogiou o trabalho desenvolvido pela unidade e a programação. “Meu filho tem dez anos, passou por outras escolas e nunca falaram sobre isso. Uma escola que se preocupa em fazer um projeto de alimentação e que se propõe a fazer palestra, treinamento e palestra para os pais e profissionais é muito importante”.