O ano se inicia na Secretaria Municipal de Saúde (SMS) com a campanha nacional do Janeiro Roxo, que intensifica as ações de conscientização para o tratamento precoce e enfrentamento da hanseníase, uma das doenças mais antigas da humanidade, mas ainda estigmatizada e negligenciada por muitos brasileiros.

Para reforçar a importância da campanha, ao longo deste mês de janeiro, a Vigilância Epidemiológica e o Centro Municipal de Pneumologia e Dermatologia Sanitária (CMPDS), que é referência para o tratamento de pessoas diagnosticadas com a hanseníase, realizarão ações de conscientização dentro do próprio serviço e nas unidades de saúde para chamar a atenção para sinais e sintomas da doença.

No Brasil, são registrados, em média, 30 mil novos casos por ano, colocando o país na segunda posição no ranking mundial da doença, atrás da Índia. Os sinais são manchas claras, róseas ou avermelhadas no corpo, geralmente com diminuição ou ausência de sensibilidade ao calor, frio ou ao tato. A hanseníase tem cura, mas, se não tratada, pode deixar sequelas no sistema nervoso.

No Centro Municipal de Pneumologia e Dermatologia Sanitária, o paciente realiza todo o tratamento pelo SUS, com a avaliação de sensibilidade, solicitação de exames de laboratório, a consulta médica para diagnóstico e retira a medicação de uso diário.

O CCMPDS funciona de segunda a sexta-feira de 7h às 12h, na Praça João Gonçalves, s/n, Centro, próximo à Prefeitura Municipal.