As instituições e entidades que participarão do desfile de 7 de Setembro tomaram conhecimento do tema escolhido pela Secretaria Municipal de Educação para este ano, que aborda os distritos do município e suas contribuições para a formação regional.  Em uma reunião realizada ontem (4) na Smed o projeto foi apresentado e os participantes definiram aspectos da organização o desfile, que será na Avenida Integração.

A secretária adjunta da Smed, Selma Maria de Oliveira Silva, elogiou o tema “Distritos Conquistenses: contribuições e valores para o Sertão da Ressaca”, porque valoriza a zona rural. Ela agradeceu a Deus pela oportunidade e a todos que estarão participando. “O desfile alimenta o sentimento cívico em cada um de nós. Estamos de portas abertas para acolher as sugestões”, afirmou.

Professora Selma

Segundo o 1º sargento Paulo Robinson Ferreira Ben, do Tiro de Guerra, um espírito de patriotismo é o que cidade espera do 7 de Setembro. “Não só a comemoração cívica, mas também uma comemoração em memória da vida e liberdade. Hoje podemos ter mais liberdade em andar na rua no pós pandemia que afetou toda a população brasileira e mundial. Nós podemos voltar a demonstrar o amor ao nosso país. A pátria é um motivo de satisfação para quem é brasileiro de verdade”, disse o militar.

A Guarda Municipal participará do desfile pela primeira vez, com a apresentação de uma banda. O comandante, Capitão Lemos, explicou como será a participação. “Para o desfile estamos com quatro grupamentos de 30 guardas municipais e vamos ter também a representação da guarda mirim. São filhos de guardas municipais que vão estar presente também neste desfile. No final fechamos com nossas viaturas”, contou Lemos.

Durante na apresentação da ala 10 do desfile, que vai abordar o distrito de Veredinha, os participantes da reunião ficaram sabendo que um dos descendentes do dono da fazenda Veredinha que deu origem ao distrito estava presente. A fazenda pertencia a Artur Lopes, bisavô do chefe da Delegacia da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Vitória da Conquista, Frederico Leite. Um dos funcionários do DNER, responsável pela construção da rodovia, Salvador Araújo, comprou um pedaço da fazenda e doou para servir de acampamento para as máquinas.

“Fiquei até surpreso que foi mencionado o nome do meu bisavô, e a fazenda Veredinha deu origem ali ao distrito. Hoje ela está sob a minha propriedade. Eu fiquei muito contente e trouxe o fato para a reunião”, comentou Frederico.

Frederico Leite