Técnicos da Secretaria Municipal de Agricultura foram até o distrito de São João da Vitória na última sexta-feira (6), para falar a pequenos produtores rurais sobre o umbu-gigante. Os diversos acessos da fruta são cultivados, desde 2007, pela Prefeitura de Vitória da Conquista, que faz a distribuição de mudas e capacita interessados em cultivá-la.

De acordo com o coordenador de agricultura, Eduardo Castro, o objetivo da Prefeitura é disseminar a cultura do umbu-gigante na região. “Ficamos felizes com a iniciativa dos agricultores, que pretendem iniciar a produção do fruto e também das mudas. Eles podem contar com a gente, que esse tipo de iniciativa é justamente o que precisa ser feito”, afirmou.

O grupo de produtores buscou a Secretaria Municipal de Agricultura para conhecer o projeto de distribuição de mudas com a intenção de montar na região de São João da Vitória uma estrutura própria para fazer novas mudas e comercializá-las, além da produção do fruto.

“O umbu-gigante é uma oportunidade de crescimento, principalmente, para a nossa região. Novas tecnologias estão sendo utilizadas para agregar valor à terra e às propriedades e também queremos fazer a proliferação dessa tecnologia”, disse o produtor Gutemberg Sacramento.

O engenheiro agrônomo da Prefeitura, Dilermando Morais Fonseca, explicou ao grupo como é realizada a produção de mudas na Fazenda Experimental e as técnicas utilizadas. “A gente precisa esclarecer que o umbu-gigante não é uma modificação genética e sim uma planta especial. A partir da identificação desta planta, nós produzimos outras mudas, por meio da enxertia, que é o método mais usado na Fazenda Experimental e o que dá melhores resultados”, explicou.

Localizada a cerca de 30 quilômetros da sede municipal, na região de Bate-Pé, a Fazenda Experimental de Pedra Mole conta com a parceria da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). O local possui 10 hectares e cerca de 730 pés de umbu.