O III Encontro de Ideias, promovido pela Secretaria Municipal de Saúde, por meio da Diretoria de Atenção Básica, aconteceu na última sexta-feira, 13, na Escola de Formação em Saúde da Família, com objetivo de promover um espaço de participação coletiva. Na ocasião, foram discutidos temas pontuais e específicos que agilizam o processo de trabalho dos servidores das unidades de saúde.

Com o tema Saúde Mental na Atenção Básica, o encontro apresentou duas experiências exitosas das equipes de saúde da família da Limeira e da Ubis V e contou com a participação dos médicos das unidades de saúde.

Para a coordenadora da Atenção Básica, Luciana Farias, esse espaço foi criado para troca de experiências que contribuam para o fortalecimento das ações da rede básica de saúde. “Este é um momento de dialogar com o profissional de saúde que atende nossa população sobre suas experiências e suas demandas e buscar de forma coletiva soluções para as necessidades apresentadas”, avaliou Luciana.

A equipe de saúde da Limeira, representada pelo médico Anselmo Lauton (há quatro anos na equipe) e a enfermeira Taís Sant’Anna (há sete anos na equipe), apresentou um relato sobre o projeto de acesso ao medicamento controlado dos pacientes com problemas de transtorno mental que fazem parte da área de abrangência da unidade. O projeto conta com 96 pacientes cadastrados que recebem na unidade do Capinal o seu medicamento, que a própria equipe de saúde busca todo mês na Farmácia da Família, localizada na sede do município.

“Nós buscamos essa solução porque percebíamos que esses pacientes apresentavam alguns problemas por conta da falta de uso do medicamento controlado e descobrimos que a distância da farmácia era um dos fatores que contribuía para isso, então resolvemos ficar responsáveis pela distribuição dessa medicação”, contou Taís.

Anselmo Lauton, médico da equipe de Saúde da Limeira

A solução encontrada pela equipe da Limeira tem dado bons resultados e evitado que esses pacientes venham a ser internados por conta da falta de uso da medicação. “Todos os pacientes são cadastrados pelos agentes comunitários ou na própria unidade, e nós os acompanhamos com a orientação ao uso correto do medicamento e também com a consulta médica”, explicou Anselmo.

O segundo relato foi um convite a participar de uma roda de terapia comunitária, atividade que acontece na Urbis V desde 2008 e é coordenada pela médica Maria de Lourdes Fontes. A roda é um espaço de conversa, escuta e partilha de sentimentos e experiência de vida,que possibilita a mobilização dos recursos e a competências das pessoas.

A roda da Urbis V acontece uma vez por mês e está aberta a qualquer pessoa. “Nós utilizamos a metodologia de Paulo Freire, fazemos um círculo e entre um relato e outro cantamos, contamos piadas, recitamos poemas. Na roda, o efeito terapêutico é muito bom, pois nos identificamos com o problema do outro e nos ajudamos mutuamente”, avalia Lourdes.

Atenção Básica – A Atenção Básica de Vitória da Conquista atualmente conta com 38 equipes de saúde da família, 30 equipes de saúde bucal, 4 equipes de Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF), uma equipe do Programa de Atendimento Municipal Domiciliar ao Idoso com Limitação (Pamdil) e 8 Unidades Básicas de Saúde que atendem a população da sede e da zona rural do município.