Oficina Direção de Atores, com Eduardo Eimil

Acontece em Vitória da Conquista, até a próxima sexta-feira, 6, a Mostra Cinema Conquista – Ano 9. A programação é totalmente gratuita e conta com uma série de atividades em torno da sétima arte. O evento é uma realização da Prefeitura Municipal e da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia.

Oficinas, sessões de filmes, papo de cinema e shows musicais marcaram os dois primeiros dias do evento, que traz para a cidade o que há de mais novo na produção cinematográfica nacional.

Na segunda-feira, 2, o professor da Escuela de Cuba, também roteirista e diretor, Eduardo Eimil, e a figurinista Joana Gatis deram início as oficinas “Direção de Atores” e “Construindo o Figurino”, respectivamente.

Papo de Cinema: Henrique Dantas, Milene Gusmão e Sérgio OSilva

Também foi realizado, no Centro de Cultura, o primeiro Papo de Cinema, que discutiu o tema “Memória e preservação do cinema na Bahia”. O encontro contou com as presenças dos realizadores baianos que exibiram suas obras na abertura da Mostra: Henrique Dantas, com o longa Sinais de Cinzas, e Sérgio OSilva, com o curta Madrigal de Memórias.

O Centro de Cultura foi palco de sessões com exibição de curtas, médias e longas metragens, entre eles os curtas Vadiação, de Alexandre Robatto Filho e Manhã Cinzenta, de Olney São Paulo. O público presente teve, ainda, a oportunidade de assistir a vários longas, a exemplo de Éden (Bruno Safadi) e Super Nada (Rubens Rewald).

Para a estudante Leila Canguçu, que participou da última sessão da segunda-feira, “a Mostra é um evento muito importante para a cidade. Ela difunde a cultura e é aberta ao público, gratuitamente”.

Interação marcou a primeira conferência da Mostra

Terceiro dia de Mostra –A abertura dos trabalhos da Mostra Cinema Conquista dessa terça-feira, 3, contou com a presença da distribuidora de cinema Silvia Cruz. Na Uesb, ela falou aos presentes sobre a “Distribuição de filmes brasileiros independentes – Festivais, Cinema, TV e Internet”.

Segundo ela, embora estivesse com receio por apresentar um tema que muitas vezes as pessoas não querem discutir, a receptividade foi muito boa. “Muitas vezes o pessoal quer discutir cinema e não quer discutir mercado, mas foram chegando pessoas, elas estavam interessadas e entenderam que não é uma coisa chata, muito pelo contrário, é legal de saber pra você tomar certas decisões”.

Durante a tarde, as oficinas “Direção de atores” e “Construindo o figurino” deram continuidade às suas atividades, enquanto o diretor, produtor e roteirista Rodrigo Grota teve o primeiro contato com os alunos da oficina “Narrativas imaginárias – documentar apenas o que não existe”.

Colégio Abdias Menezes participa da “A Escola vai ao cinema”

Enquanto isso, no Centro de Cultura, a programação da tarde começou com o Papo de Cinema, reunindo o cineasta André Novais, que exibiu o curta Pouco Mais de Um Mês, obra que ganhou menção honrosa em Cannes; a também cineasta Clarisse Rebouças, que exibiu o curta Desvelo e a pesquisadora Ana Luisa Coimbra, que participou da mesa para falar sobre sua pesquisa em torno da obra e vida de Alexandre Robatto (que teve um curta exibido na Mostra).

No mesmo horário, em paralelo ao Papo de Cinema, aconteceu a Sessão Especial A Escola Vai ao Cinema, que contou com a presença de estudantes do Colégio Estadual Abdias Menezes.

O terceiro dia também trouxe em sua programação as exibições de filmes em outros pontos da cidade, possibilitando o contato da comunidade com o cinema. No bairro Brasil, o Cine-Tenda iniciou suas exibições que seguem até a próxima sexta. Já o Cine-Cidadão Itinerante começou suas atividades no bairro Alto Maron.

Para encerrar o movimentado dia de ações que propõem a difusão e formação do cinema, mas que não deixam de reforçar a força da cultura em suas mais diversas vertentes, o público do Centro de Cultura conferiu o show “Cantando Há Décadas” do músico conquistense Vivaldo Bonfim.

Com informações da Ascom da Mostra de Cinema