Profissionais das equipes das Unidades de Saúde da Família se reuniram na tarde da última sexta-feira, 23, na Escola de Formação em Saúde da Família para discutir e avaliar os resultados do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica/PMAQ.

Desenvolvido pelo Governo Federal, através do Ministério da Saúde, o PMAQ procura ampliar a capacidade das gestões federal, estaduais e municipais e, também, das equipes de atenção básica de ofertarem serviços que assegurem maior acesso e qualidade, de acordo com as necessidades da população. Nesse sentido, o principal objetivo é incentivar os trabalhos das equipes de Saúde da Família, que devem seguir alguns critérios pré-estabelecidos pelo Ministério da Saúde e passar por um processo de avaliação externa.

Em Vitória da Conquista, a avaliação foi feita pelo Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia/UFBA. De todas as equipes que participaram do projeto, dez receberam qualificação de desempenho considerada “ótima” e oito foram certificadas com a qualificação “boa”. A coordenadora da Atenção Básica, Dayse Matos, comemorou os resultados: “Para nós é uma satisfação muito grande, demonstra a qualidade do trabalho que vem sendo realizado na Atenção Básica de Vitória da Conquista”.

Os profissionais que atuam nas unidades básicas de Saúde da Família aprovaram o projeto. Para a médica Maria de Lourdes Freitas, que trabalha na unidade da Urbis V, o programa despertou o incentivo dos profissionais. “Nós entramos no PMAQ com um forte desejo de ver melhorar o nosso desempenho no serviço”, disse. “Essa avaliação é uma coisa nova. E nós, enquanto profissionais, nos sentimos incentivados a participar”.

Maria de Lourdes disse, ainda, que é esse o clima que deve permear o Sistema Único de Saúde/SUS: “Para que haja excelência é necessário incentivar, e é justamente isso o que esse programa está fazendo. Nossa equipe ficou com a qualificação ‘boa’ e, com certeza, vamos nos esforçar para conquistar a ‘ótima’ do Ministério da Saúde”.

A odontóloga da unidade de saúde do Pradoso, Katiusy Carneiro, afirma que o programa contribuiu para a união da equipe. “O PMAQ foi bom para nos reunirmos e realizarmos com mais frequência a avaliação dos indicadores da equipe e o planejamento. Isso motivou bastante a equipe. Ficamos mais engajados, mais unidos, e alguns desafios que foram aparecendo nós tentamos superar”, disse Katiusy. “Foi bastante motivador. Não imaginávamos que a nossa nota seria tão boa. Estamos muito satisfeitos”.