No mês de outubro, além da Campanha do Outubro Rosa, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) também intensifica as ações de combate à sífilis e à sífilis congênita no município, com ações de mobilização para o diagnóstico e enfrentamento da doença.

Na próxima semana, entre os dias 23 e 28 de outubro, será realizada a Semana Municipal de Combate à Sífilis no Centro de Atenção à Vida (CAAV), com um estande em frente ao serviço ofertando o teste rápido para auxílio diagnóstico da sífilis para qualquer pessoa sexualmente ativa que tiver interesse em realizar a testagem.

O dia D da campanha contra a sífilis ocorrerá em parceria com a ação de encerramento do Outubro Rosa, que ocorrerá no próximo domingo (23), no Sesc, com a oferta de diversos serviços de saúde e atividades gratuitas para as mulheres em situação de vulnerabilidade social. O evento será realizado em parceria com a SMS, Unacon Samur, Patrulha Solidária e Sesc.

Diagnóstico da sífilis no Município

As 42 unidades de saúde da zona urbana e rural também estão realizando as testagens, que foram intensificadas durante as ações do outubro rosa, a fim de fazer a busca ativa dentro dos territórios. Desde 2017, a SMS descentralizou a testagem e o tratamento das sífilis para as unidades, implantando fluxos e protocolos com o objetivo de acompanhar, de forma integral, os pacientes com sífilis, tornando o tratamento oportuno.

Os dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), neste ano de 2022, apontam 299 novos casos de sífilis adquirida, 62 casos de sífilis em gestante e apenas três casos de sífilis congênita (de mãe para filho), o que demonstra a qualidade da assistência pré-natal. “As equipes de saúde da Atenção Primária que estão na linha de frente nos territórios são parte essencial desse processo, contribuindo na queda da sífilis congênita durante esses anos, garantindo a integralidade do cuidado, que é uma das bases do SUS”, ressaltou a coordenadora do CAAV, Riviane Santana.

Ainda segundo a coordenadora, o município não mede esforços para reduzir os índices da doença e, por isso, vem fomentando ações de prevenção, controle, monitoramento e vigilância durante todo o ano, como distribuição de testes rápidos, penicilina para tratamento e preservativos.

Um dos objetivos da campanha neste ano é de alcançar a população com uma linguagem mais clara e objetiva para darem prioridades aos aspectos de prevenção e diagnóstico precoce. “É sempre importante frisar que a sífilis é uma epidemia e que as ações de enfrentamento a esta doença precisam ser permanentes”, reforçou Riviane.

Sobre a sífilis – É uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST) causada pela bactéria Treponema Pallidum e apresenta várias manifestações clínicas e diferentes estágios, conhecidas como primária, secundária, latente e terciária, com o risco de contágio maior nos dois primeiros níveis. Contudo, a sífilis tem cura, desde que seja feito o acompanhamento adequado pelo serviço de saúde de referência.

A única forma eficaz de prevenção contra a síflis é o uso do preservativo em todas as relações sexuais. Além disso, é importante fazer o teste constantemente e, em caso de diagnóstico da doença, o tratamento precoce também é fundamental para conter a infecção.