Com objetivo de refletir sobre as políticas públicas para a população negra em Vitória da Conquista, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, por meio da Coordenação de Promoção da Igualdade Racial, realiza a semana “União e Resistência”. A abertura aconteceu na noite desta terça-feira (22), e contou com palestra do professor doutor José Ricardo Marques.

Na ocasião, o estudioso de temas ligados à população negra falou sobre o conceito e importância da unidade e persistência dos negros no país. “Esse é o momento de fazermos uma reflexão sobre as lutas que a gente ainda precisa encampar e pensar as questões que a gente tem que resistir. Pensar nos pontos comuns de lutas nos diferentes espaços e lugares do Brasil, e também na construção do movimento negro ao longo do último século e os desafios que temos hoje”, disse o professor, que também abordou a forma como os descendentes de africanos se organizaram ao longo do Século XX.

O coordenador municipal de Promoção da Igualdade Racial, Ricardo Alves, informou que a programação segue até a próxima quinta-feira (24), com oficinas de capoeira no Centro Cultural Glauber Rocha e apresentações culturais na praça 9 de Novembro. “Claro que as ações afirmativas não se resumem ao Novembro Negro e a esta semana, pois são ações que acontecem o ano inteiro, porém esse é um momento no qual nos sentamos para refletir e analisar o que nós estamos construindo e o que nós precisamos melhorar, quais são os desafios que já superamos e os que precisamos superar, pois entendemos que a luta dos direitos humanos é uma luta contínua”, destacou.

Presente na abertura da programação, o secretário municipal de Desenvolvimento Social, Michael Farias, ressaltou o compromisso do Governo Municipal na construção de uma sociedade sem preconceito e sem racismo. “O Novembro Negro se materializa como um conjunto de estratégias e eventos que têm como objetivo visibilizar essa pauta e marcar a necessidade de pensar sobre essas questões e ao mesmo tempo construir com o poder público, alternativas que fortaleçam a política de igualdade racial e reafirme pautas históricas que necessitam ser materializadas no cotidiano da cidade”, disse. O secretário também falou dos projetos para o próximo ano, entre eles, a atualização do Plano Municipal de Igualdade Racial e a ampliação do diálogo com as comunidades quilombolas e grupos tradicionais.

Adriano Moreira e Ricardo Alves

O contramestre de capoeira, Adriano Moreira, foi um dos participantes da atividade nesta noite. Para ele, atividades dessa natureza vêm  somar na luta da população negra. “As pessoas precisam entender que nossa cultura não é folclore e que somos sobreviventes, somos resistência e é resistindo que pretendemos continuar”, explanou.

Professor doutor José Ricardo Marques

A programação da semana segue nesta quarta-feira (23), com oficinas de capoeira no Centro Cultural Glauber Rocha e com apresentações culturais na praça 9 de Novembro na quinta-feira (24).