Autoridades públicas e representantes da sociedade civil organizada de Vitória da Conquista reuniram-se na manhã desta sexta-feira (28), para discutir a duplicação da BR-116. O evento aconteceu no auditório da Santa Casa de Misericórdia e contou com a presença do prefeito Herzem Gusmão e de outros membros do Governo Municipal.

Desde 2009, a Viabahia Concessionária de Rodovias tem um contrato firmado com a União para a exploração da rodovia BR-116 (entre Feira de Santana e a divisa da Bahia com Minas Gerais) e da rodovia BR-324 (entre Salvador e Feira de Santana). Em 2013, a concessionária deveria ter iniciado a obra de duplicação do trecho da BR-116, que corta Vitória da Conquista, como parte da obrigação contratual.

O prefeito Herzem Gusmão e o provedor da Santa Casa, Abmael Brito, abriram o evento

“Nós estamos em 2020 e ainda não foi iniciada essa obra tão importante para a região. O Ministério Público Federal já ajuizou uma ação civil pública, ela foi julgada procedente pelo juiz da 2ª Vara Federal, e atualmente o processo está em fase de recurso no Tribunal Regional Federal, em Brasília”, explica o procurador do Ministério Público Federal, Roberto D’Oliveira Vieira. No evento, ele conduziu uma palestra esclarecendo as ações que o órgão vem ajuizando no caso.

A Prefeitura de Vitória da Conquista é um dos entes apoiadores da causa. “Se a Viabahia não tem, a cidade tem real interesse na duplicação. Eu vejo com bons olhos o Ministério Público Federal envolvido, a cidade toda organizada, entidades importantes da nossa cidade, e a Prefeitura também”, afirmou Herzem Gusmão. O prefeito destacou ainda que, na próxima quarta-feira (4), ele estará em Brasília participando de uma audiência com o ministro de Infraestrutura, Tarcísio Freitas, para discutir essa pauta.

O procurador Roberto D’Oliveira Vieira apresentou as ações do Ministério Público Federal na causa

A audiência é uma das provocações que vem sendo realizadas pelo Movimento Duplica Sudoeste. O provedor da Santa Casa de Misericórdia, Abmael Brito, que também é membro do movimento, diz que o objetivo é fazer com que a Viabahia execute a duplicação da via. “Os benefícios são grandes, em problemas de segurança nas estradas, na movimentação com relação à economia de Conquista e toda a região. São coisas importantes e nós temos que estar engajados nessa luta”, disse.