A partir de segunda-feira (6) até o dia 11 de dezembro, a Prefeitura de Vitória da Conquista vai intensificar as ações desenvolvidas para a garantia do desenvolvimento integral das crianças em seus primeiros anos de vida. Será a 6ª Semana do Bebê, realizada por meio das secretarias municipais de Desenvolvimento Social, Saúde e Educação e pela Fundação Pública de Saúde de Vitória da Conquista (FSVC), que mantém o Hospital Esaú Matos.

Com o tema “Cuidado integral na primeira infância”, a Semana do Bebê conta com o apoio do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (Comdica) e da Rede Cegonha e integra uma das principais estratégias do Selo Unicef.

“Na Semana do Bebê, são intensificadas as ações para o atendimento integral das nossas crianças na primeira infância, além de serem realizadas importantes atividades de conscientização e apoio às gestantes e mães do município”, reforçou a articuladora do Selo Unicef em Vitória da Conquista, Polímnia Cassimiro.

Na programação, entre outras atividades, estão rodas de conversa, contação de histórias e visitas técnicas. Nas unidades de saúde, vários serviços serão oferecida. “Muitas ações já são feitas ao longo do ano pelas equipes, mas durante essa semana vamos intensificar o trabalho, inclusive, com um ‘dia D’ para reforçar a importância do cuidado integral da criança até os seis anos de idade”, destacou a secretária de Saúde, Ramona Cerqueira.

Para marcar a abertura do evento, na segunda-feira haverá a cerimônia de entrega da chave da cidade ao primeiro bebê nascido no Hospital Municipal Esaú Matos na Semana do Bebê, tornando-o o “Bebê prefeito” – símbolo do compromisso do poder público com a garantia dos direitos da primeira infância.

Desde 2019, a Semana do Bebê integra o Calendário Anual do Município, conforme o Decreto nº 19.951, de 2 de dezembro. “Considerando que a primeira infância é uma janela de oportunidades crucial para a saúde, o aprendizado, o desenvolvimento e o bem-estar social e emocional das crianças é imprescindível que essa questão esteja na agenda central do governo. É uma forma de materializarmos todos os direitos fundamentais que estão na Constituição Federal e no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA)”, enfatizou o secretário de Desenvolvimento Social, Michael Farias.