Oito partidas movimentaram a terceira rodada do Campeonato da Zona Rural na tarde deste domingo (12). Em Simão, enfrentaram-se as categorias aspirante e titular do Palmeiras, time da casa, e do Santos do Baixão. Enquanto a partida aspirante ficou empatada no 1×1, as equipes titulares finalizaram o jogo no 0x0.

Na categoria titular, o resultado não foi o que esperava o capitão do Palmeiras do Simão, Raí Cruz, que botava fé na vitória para somar três pontos à equipe. Mas independentemente do que reservam os placares da competição, para ele essa é uma boa iniciativa. “Um campeonato bastante organizado, que influencia e ajuda muito na economia do bairro. E é um momento de distração pra todos nós”, destacou.

O capitão do Santos do Baixão, Júnior Balec, concorda. “O campeonato tá vindo aí pra poder somar, trazer um prestígio pra toda a zona rural. A gente espera que seja dessa forma que está, agregando sempre na área da economia e também trazendo o evento para todos os cantos”, avaliou.

Da plateia, Cristina Santos vibrava assistindo ao jogo. Moradora de Baixão, ela foi até o Simão assistir a partida e contou que acompanha todos os campeonatos da zona rural. “Futebol pra mim é vida”, afirmou. “O esporte em primeiro lugar, até porque faz bem pra nossa vida. Esporte pra mim é tudo, esporte, cultura e lazer é o que me move”, completou Cristina, que também é praticante e professora de futebol.

De acordo com o coordenador do Campeonato da Zona Rural, Reinaldo Freitas, o evento integra 27 equipes e cerca de mil atletas e dirigentes. “São 23 anos de campeonato com muita organização, com muito brilhantismo. A prefeita Sheila está de parabéns neste ano, porque pela primeira vez na história a Prefeitura tá pagando as duas categorias, titular e aspirante, e isso é muito bom. Depois de uma pandemia que veio por muito tempo”, disse.