Estudos do Relatório do Fundo Mundial para Pesquisa em Câncer apontam que em torno de 30% a 40% dos casos de câncer podem ser evitados, com a mudança de práticas alimentares, o controle do peso corporal e a prática de exercícios. E foi essa constatação que motivou o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA) a promover a “Oficina de Capacitação de Multiplicadores para a Promoção de Práticas Alimentares Saudáveis e Prevenção de Câncer”, em Vitória da Conquista, desde essa segunda-feira, 14. A oficina é oferecida com o apoio da Prefeitura Municipal, por meio do Projeto Conquista de Controle do Câncer a partir da Atenção Primária.

As nutricionistas Maria Eduarda Diógenes (à esquerda), Sueli Couto (centro) e Rebeca Louise (à direita)

“Este é um curso que tem o seu formato em construção permanente e já passou por nove estados do Brasil. Vitória da Conquista é primeira cidade da Bahia que recebe esta oficina, que pretende sensibilizar os profissionais para que eles possam promover, nas unidades de saúde em que atuam, a divulgação destas informações”, explicou a nutricionista Sueli Couto, técnica da Unidade Técnica de Alimentação, Nutrição e Câncer do INCA, que ministra o curso com as também nutricionistas Maria Eduarda Diógenes Melo e Rebeca Louise Nunn.

A oficina é oferecida pelo INCA desde 2009 e utiliza o método crítico-reflexivo para conscientizar os profissionais sobre um determinado tema, partindo da realidade local do grupo, aprendendo com as vivências de cada um e envolvendo todos na construção compartilhada de soluções aos problemas enfrentados. Seguindo este preceito, o curso conta com momentos teóricos e de diálogos em grupo.

Michella Macedo

“Estamos muito satisfeitos em receber esta oficina que, pela primeira vez, é oferecida para um município – até o momento, ela havia sido oferecida somente aos estados. Isso não seria possível, se não fosse a existência do Projeto Conquista, que foi abraçado pelo Governo Municipal, com objetivo de trazer novas perspectivas para o cuidado e o controle do câncer”, avaliou a assessora de Planejamento e Educação Permanente da Secretária de Saúde, Michella Macedo.