As novas integrantes do Conselho Municipal da Mulher, que atuarão no próximo biênio, tomaram posse na tarde dessa sexta-feira, 23. A cerimônia, realizada no Centro de Referência da Mulher Albertina Vasconcelos, contou com a participação de representantes do poder público municipal e de diversas instituições que atuam em defesa dos direitos da mulher.

Representando o prefeito Guilherme Menezes, o vice-prefeito e secretário municipal de Comunicação, Ricardo Marques, ressaltou a importância da construção de uma sociedade que ofereça dignidade e qualidade de vida para todos os cidadãos. “O Conselho Municipal da Mulher contribui efetivamente nesse processo de construção de uma sociedade mais igualitária. Já conquistamos muitos avanços, inclusive temos uma mulher na presidência da República, mas sabemos que ainda precisamos avançar muito para alcançarmos uma sociedade mais justa”, declarou.

O secretário municipal de Desenvolvimento Social, Miguel Felício, destacou que Vitória da Conquista tem tradição em luta social, e o Conselho Municipal da Mulher é um dos frutos dessa trajetória de lutas. “Ao longo desses anos, a garantia dos direitos das mulheres tem sido uma questão prioritária para o poder público municipal. A gente vai conquistando algumas vitórias, vão surgindo outras demandas, porque a violência é uma questão que precisa ser combatida não apenas pelo governo, mas por toda a sociedade”, completou o secretário.

Na ocasião, a presidente do Conselho da última gestão, Maria Otília Soares, lembrou a história do órgão e fez uma avaliação da atuação do conselho desde sua criação, em 1997. “Fizemos um bom trabalho, com destaque para a articulação com outros conselhos, a promoção de seminários temáticos e da terceira conferência de políticas para mulheres. Além disso, encaminhamos propostas de políticas públicas e apresentamos nossas reivindicações”, afirmou.

A coordenadora do Centro de Referência da Mulher, Angélica Evany, reassumiu uma vaga no Conselho, formado por cinco representantes de poder público e dez da sociedade civil organizada. A conselheira deu as boas vindas às novas colegas e falou de sua gratidão pela nova oportunidade: “Assumir esse cargo é uma desafio, principalmente para nós mulheres, porque aqui nós debatemos nossos direitos”.