O Governo Participativo acredita que um povo organizado conquista muito mais. Por isso, na tarde de sábado, 8, a equipe do Governo Municipal participou, juntamente com os moradores dos residenciais Campo e Campo Verde, da escolha dos representantes de mais um importante mecanismo de controle e participação social. Foram as eleições dos presidentes das Associações de Moradores dos residenciais, que fazem parte do programa Minha Casa Minha Vida.

Edwaldo Alves, secretário de Governo

“O Governo Municipal tem como principal característica uma sociedade organizada, por isso apoia iniciativas como essa em todo o município. Esse é o primeiro processo democrático do Campo Verde e do Campo e serão espaços legítimos para que a população possa apresentar suas demandas, solicitar as melhorias”, explicou o secretário de Governo, Edwaldo Alves.

Ana Cláudia

Durante toda a tarde, mais de duzentos moradores cumpriram o papel de cidadãos e ajudaram a escolher os representantes das Associações de Moradores dos residenciais. Duas chapas estavam disputando o pleito do Campo Verde (Chapa 1 e Chapa 2). Já com relação ao pleito da Associação de Moradores do Residencial Campo, a chapa era única.

Na ocasião, a presidente da Chapa 2, Ana Cláudia, falou sobre a sua motivação para participar da eleição. “Estou participando porque eu desejo poder representar o meu conjunto e lutar, junto com os meus colegas, pelas melhorias para a nossa comunidade”, disse.

Patrícia Guimarães

A presidente da Chapa 1, a chapa vencedora com 109 dos 199 votos válidos, Patrícia Guimarães, falou sobre suas expectativas. “ Eu queria agradecer a todas as pessoas que depositaram sua confiança em nós e dizer que espero conseguir muitas melhorias para o nosso condomínio. Então, as minhas expectativas são as melhores possíveis”, afirmou.

O presidente da Associação de Moradores do Residencial Campo será Juarez Tavares da Silva, eleito com 71 votos.

Ações Sociais – Ainda de acordo com o secretário de Governo, Edwaldo Alves, o Governo Municipal cumpre o seu papel de auxiliar os beneficiários do programa federal Minha Casa Minha Vida na formação de uma nova comunidade. “Diversas ações sociais já foram realizadas no local e acreditamos que uma associação de moradores bem organizada vai contribuir com a realização de mais projetos sociais no residencial , porque eles vão participar e ajudar a elaborá-los”, concluiu.