O Laboratório Central Municipal (Lacem) vem sendo administrado pela Fundação de Saúde de Vitória da Conquista (FSVC) há pouco mais de um ano. Nesse período, a unidade avançou muito na prestação de serviço à comunidade, diversificando a oferta e atingindo a média de 500 exames por dia. A eficiência na utilização dos recursos também resulta em maior celeridade na publicação dos resultados de exames.

Em um mapeamento realizado pela Secretaria Estadual de Saúde da Bahia (Sesab), com o objetivo de identificar potenciais polos regionais, para auxiliar o Laboratório Central do Estado no controle de doença de agravo de saúde pública (coqueluche, difteria, tuberculose, entre outras), o Lacem de Vitória da Conquista desponta como principal candidato da região, por ser o maior laboratório de saúde pública do interior da Bahia e por receber há seis anos consecutivos o selo de excelência do Programa Nacional de Controle de Qualidade (PNCQ), promovido pela Sociedade Brasileira de Análises Clínicas (SBAC).

Márcio Vasconscelos

Desde queo laboratório ficou sob a gestão da Fundação, foram feitos ajustes para aumentar a celeridade e o número de exames. Na época, a média era de 33 mil exames por mês, hoje, a média é de 60 mil por mês. “Fizemos um adequação do funcionamento do laboratório, buscando eficiência e a utilização do recurso da melhor forma possível. E isso nos permitiu realizar uma média de 500 exames por dia. Também por conta da alteração no processo, pudemos garantir que a maioria dos resultados estejam disponíveis pela internet no mesmo dia”, conta o coordenador do Laboratório Central, Márcio Vasconcelos.

Ary Pires

Segundo o diretor-médico doHospitalEsaú Matos, Ary Pires, a parceria entre o Esaú Matos e o Lacem permite um maior desenvolvimento no atendimento.Temos desempenho e metas que a iniciativa privada busca. Esse nosso esforço resulta em maior prestação de serviço. Temos sete bioquímicos. Estabelecemos uma parceria com o Lacem, para oferecer, no Esaú, os exames de outros municípios da região. Nosso público é predominantemente conquistense, mas nós atendemos mais de 70 municípios pactuados e outros município de Minas Gerais que não são pactuados”, afirma o diretor-médico da unidade.

Expansão do atendimento – Além do atendimento de excelência realizado na sede do laboratório, o Lacem está treinando funcionários das unidades de saúde na zona rural, para que os pacientes de lá não precisem vir à cidade para realizar exames. “Assim ele não precisa perder um dia de trabalho ou gastar com deslocamento. Hoje, mais de 90% dos resultados dos exames ficam prontos ao final do dia”, explica Márcio Vasconcelos.

“Inicialmente, os usuários do serviço ficaram surpresos com essa presteza, mas, com o passar do tempo, eles começaram a assimilar essa agilidade. Participamos de reuniões envolvendo agentes, líderes comunitários e o próprio Conselho Municipal de Saúde, e ouvimos muitas pontuações acerca da melhoria do Laboratório Central”, comenta o coordenador. O Lacem tem investido ainda no atendimento no próprio posto de saúde, disponibilizando três funcionários que percorrem as unidades de saúde para descentralizar o atendimento.

Ao todo, 26 pessoas compõem a equipe. O atendimento ao público começa às 7h e se estende até as 18h, mas as coletas são encerradas às 9h30min. O coordenador explica que o horário de coleta não pode ser prolongado devido ao tempo de jejum dos pacientes, para não prejudicar, do ponto de vista pré-analítico, o resultado dos exames.