Tânia Novais, coordenadora-geral do Núcleo Pedagógico, agradeceu a participação dos professores e de todos os envolvidos na produção da Jornada

Foi concluída na última sexta-feira (19), a Jornada Pedagógica 2021, promovida pela Prefeitura de Vitória da Conquista, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Smed). Com o tema “Olhares que aproximam, rede que transforma”, o evento, totalmente online, proporcionou dois dias de muito aprendizado para os professores da Rede Municipal de Ensino, por meio de 14 oficinas online e 6 lives.

“E a palavra que fica é gratidão – não há outra para descrever um momento em que a gente se reinventou. Nosso foco era construir uma Jornada Pedagógica, num formato online, mas com a mesma qualidade das anteriores e que fornecesse ferramentas que pudessem de fato contribuir para a prática de sala de aula – só que agora, uma sala de aula através da tela –, e nós conseguimos!”, enfatizou a coordenadora-geral do Núcleo Pedagógico, Tânia Novais.

Secretário lembrou o compromisso do governo Herzem Gusmão com a Educação

O secretário da pasta, Esmeraldino Correia, reforçou, na ocasião, o compromisso do governo Herzem Gusmão com a melhoria da educação municipal e a importância da Jornada. “A Jornada é um grandioso e marcante momento da educação municipal de Vitória da Conquista, este ano em especial, frente à situação desafiadora da pandemia. Mas, mesmo diante das dificuldades impostas, não poderíamos deixar de fazê-la e inovamos em formato virtual. Concluímos este momento ainda mais focados no compromisso de educar crianças, adolescentes e adultos dentro do nosso projeto Educar é Conquista”, reforçou.

E, diante desse momento de gratidão, a live de encerramento, com a professora especialista Cristianny Portela, teve como tema “Um novo olhar pedagógico sobre a Educação”. A educadora destacou que “dentro do caminho do ensino híbrido, os professores, que tiveram o seu papel resignificado, devem estimular as potencialidades dos alunos, trabalhar com eles, entre outros princípios, o da inclusão e da sustentabilidade, e não desistir. Tenho certeza de que a Rede Municipal de Conquista está, como o tema da Jornada diz: transformando, resignificando”.

A professora Daniela Costa, atual diretora da Escola Municipal Maria Célia Ferraz e que participou da oficina “Alfabetização e Letramento em tempos de ensino remoto e híbrido”, avaliou como positiva a iniciativa. “A temática foi de grande valia. É importantíssimo participar desses momentos oferecidos na Jornada Pedagógica, enriquece o nosso trabalho em sala de aula, facilita a aprendizagem do aluno e amplia nossos conhecimentos”, comentou.

Palestra de encerramento destacou o protagonismo que os alunos devem ter no contexto híbrido

A professora Nélia Oliveira, que dirige o Círculo Escolar Integrado do Pradoso, destacou: “Foi uma grande satisfação participar dessa Jornada Pedagógica, que é um momento ímpar na história da educação em nosso município. A Secretaria foi muito feliz na escolha dos palestrantes e dos temas. As lives de Guilherme Davoli e Felippe Tribuzzi, por exemplo, nos encorajam a enfrentar os desafios impostos pela pandemia; suas falas serviram de combustível para a nossa prática pedagógica”.

Monitora do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Padre Benedito Soares, Edicléia Xavier, salientou: “a jornada pedagógica teve um tema amplo e propício para momento que estamos vivenciando. As lives e oficinas foram de grande aprendizado. Foi um momento agradável. Quero agradecer a Secretaria de Educação por nos presentear com esse evento maravilhoso. A nossa expectativa agora é de que o ano letivo de 2021 seja voltado para uma educação ainda mais humanizada”.

A cerimônia de encerramento teve a presença também da secretária adjunta de Educação, Arlete Dória, entre outros membros do Governo Municipal (respeitados os protocolos de segurança). A Jornada Pedagógica 2021 contou com a parceria da Editora Moderna, Aprender Editora, Instituto Acrópole, Programa Nacional de Incentivo à Leitura (Proler), Programa Educar pra Valer, além de secretarias e órgãos municipais, a exemplo da Central de Interpretação de Libras (CIL).