Coral Herdeiros do Futuro relembra história de Araceli, morta aos 8 anos de idade

As meninas Letícia Paiva e Isabella Brito Pereira, junto com os demais educandos do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV), do Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) Jardim Valéria, deram um show de informação e conscientização aos presentes na ação social, realizada no distrito de Iguá, neste 18 de maio, Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

Através da campanha “Não Feche os Olhos”, a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, lembrou a data e alertou a população da região para este problema.“Nós precisamos passar a todos essa mensagem que é: não fechar os olhos para a violência. Cada um de vocês, ao perceber que algo de errado está acontecendo com uma criança ou adolescente, procure um órgão responsável ou disque 100 e denuncie. Você está salvando uma família”, disse a vice-prefeita e também secretária de Desenvolvimento Social, Irma Lemos.

Irma Lemos convida comunidade à vigilância

O defensor público, Dr. Luciano Trindade, participou da ação e a classificou como cirúrgica: “porque conseguiu que a campanha tivesse esse momento emblemático, que é o 18 de maio, na comunidade rural de Iguá, pois é um local que tem um impacto social com relação ao aeroporto e a própria BR-116. Agir dessa forma é agir com inteligência. A Prefeitura agindo onde o problema está”.

Os dados da violência sexual em Vitória da Conquista apontados pelo Conselho Tutelar mostram que este também é um problema na zona rural do município que, em 2017, registrou 78 casos de abuso e exploração e, em 2108, o número aumentou para 89 casos.

“É bom conscientizar”, afirma moradora

Para a jovem Beatriz Silva, é importante conscientizar a comunidade sobre o assunto: “estou gostando muito do trabalho realizado aqui hoje. Vim para entender mais das coisas que estão acontecendo. Já tive várias orientações quando estudava aqui na escola e é sempre bom conscientizar porque várias pessoas podem aprender também”.

O evento aconteceu na Escola Municipal Erathostenes Menezes, onde foram ofertados para comunidade atendimento dos programas Bolsa Família e Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti), orientação e distribuição de panfletos e camisinhas, por meio do Centro de Apoio e Atenção à Vida (Caav), além de orientações e divulgações dos serviços socioassistenciais que trabalham no enfrentamento à violência sexual.

Regiane veio de povoado vizinho para a ação

Regiane Carvalho veio do povoado de Rancho Alegre com sua filha de 10 meses e uma sobrinha ouvir sobre abuso e exploração sexual infantil: “Um evento como esse é sempre bom prestigiar para repassarmos a informação para as crianças, para nossos filhos em casa”.Garçonete desempregada, Regiane esperava sua vez para realizar o cadastro do Bolsa Família.“Foi uma ótima oportunidade. Às vezes falta até dinheiro para a gente ir na cidade e vindo aqui fica bem mais fácil”, salientou.

Além dos moradores de Iguá e servidores municipais, participaram da ação: o secretário municipal de Educação, Esmeraldino Correia, o coordenador de Direitos e Educação da Polícia Rodoviária Federal, Sérgio Dias, a conselheira tutelar da Zona Rural, Aline Gonzaga, e a presidente da Comissão de Crianças e Adolescentes da OAB, Gina Bernardes.