Na tarde desse domingo, 10, foi realizada uma Roda de Prosa e a I Reunião Local do II Encontro de Lésbicas e Mulheres Bissexuais da Bahia (EnLesBi), evento que propõe um debate acerca das questões da comunidade lésbica e bissexual da Bahia e proporciona o compartilhamento de experiências no ativismo, de enfrentamento e superação de violências. O encontro contou com a presença da coordenadora do Grupo de Lésbicas Safo, Rosilene Santana, do Assessor técnico de Políticas Públicas para a Diversidade Sexual, Danillo Bittencourt, além de diversas representantes de movimentos sociais de combate a homofobia.

“A data desse encontro foi escolhida por termos vários motivos para comemorar. Além do Dia Internacional da Mulher, também estamos comemorando um ano do meu casamento, que foi o primeiro casamento homoafetivo do interior da Bahia. Também estamos discutindo a visibilidade lésbica”, contou Rosilene.

Érica Capinan

Sobre o mesmo assunto, a coordenadora regional do II Encontro de Lésbicas e Mulheres Bissexuais da Bahia, Érica Capinan, o marco simbólico é a realização do EnLesBi. “Estamos aqui hoje para discutir e enfrentar as questões raciais, machistas e sexistas da sociedade, além laicidade do Estado. Nós precisamos entender que é preciso racializar e lesbianizar o Março Lésbica”, explicou Érica.

Rosa Moreno

A coordenadora de um grupo de lésbicas de Simões Filho, Rosa Moreno, também concorda que é importante dar visibilidade para o movimento. “Precisamos discutir o direito reprodutivo da mulher lésbica e as garantias do direito do casamento homoafetivo. Tudo isso é uma luta e entendemos que devemos passar a questão pessoal para pensar na coletividade, só assim podemos construir uma política de direitos”, afirmou Rosa.

Durante o encontro também foram exibidos documentários e discutida a data da 5ª Parada do Orgulho de Ser LGBT de Vitória da Conquista.