Durante o encontro, discutiu-se sobre o projeto de construção de um novo espaço para a Central

Representantes do Governo Municipal se reuniram novamente na tarde dessa segunda-feira, 21, com comerciantes permissionários da Central de Abastecimento localizada na Avenida Juraci Magalhães. Durante o encontro, ambas as partes prosseguiram nas discussões sobre a construção de um novo espaço de funcionamento para a Central.

“A negociação avançou do ponto de vista de que a Administração Municipal esclareceu mais a respeito do projeto de construção da nova central de abastecimento. Os permissionários estão cientes da necessidade de estabelecerem essa parceria com a Prefeitura”, sintetizou o secretário municipal de Serviços Públicos, Élvio Dourado.

A secretária municipal de Infraestrutura, Deborah Rocha, também destacou a importância de que todo o trabalho ocorra de forma conjunta: “A Prefeitura está buscando a parceria com os comerciantes para a edificação desse grande empreendimento do município, que é a nova Central de Abastecimento”.

“A reunião foi positiva, no sentido de que a Prefeitura e os comerciantes estão caminhando juntos”, avaliou o advogado Érico Júnior, um dos profissionais que representam juridicamente a recém-criada Associação dos Comerciantes Atacadistas do Quinto Galpão Ceasa (Acatace). “Agora, vamos avançar esta conversa para que nos próximos dias já consigamos uma avanço maior, já para estabelecer o projeto definitivo da nova Central”, acrescentou o advogado.

A próxima reunião foi agendada para quinta-feira, 24. Nessa ocasião, os permissionários já serão representados por uma comissão formada por pequenos, médios e grandes comerciantes, além de advogados e engenheiros.

Terreno – A nova Central de Abastecimento será edificada num terreno com área de 70 mil m², situado no Loteamento Boa Esperança, no bairro São Pedro. Também é lá que a Prefeitura está construindo, por meio da Empresa Municipal de Urbanização (Emurc), o Centro de Comercialização da Agricultura Familiar. O investimento na obra é de aproximadamente R$ 1,3 milhão, entre recursos do Ministério do Desenvolvimento Agrário e a contrapartida da Prefeitura Municipal.