Por conta das últimas chuvas, a obra já ostenta um considerável espelho d’água

A barragem pode acumular até 55 milhões de litros de água

Os moradores do distrito de Cercadinho, a cerca de 90 quilômetros de Vitória da Conquista, receberam a 11ª barragem construída em 2013 pela Prefeitura. A obra está localizada num terreno bem próximo ao distrito, na saída que leva ao povoado de Salitre. Trata-se da completa revitalização de uma antiga tapagem que havia sido construída nos anos 70.

Secretário de Agricultura fala aos moradores: “Governo Municipal está construindo reservas de água no município”

Após o trabalho do Governo Municipal, tornou-se uma barragem bem maior, com capacidade para acumular até 55 milhões de litros de água. Por conta das chuvas que caíram na região, durante o último fim de semana, a obra já ostenta um considerável espelho d’água. Somente na região de Cercadinho, é a terceira barragem construída este ano. Houve ainda seis na região de Bate-Pé, uma na de Pedra Branca e outra na de Juazeiro.

João Rubens: projeto de hortas comunitárias

“Estamos construindo reservas de água para o período da seca no nosso município”, disse o secretário municipal de Agricultura, Odir Freire, que representou o prefeito Guilherme Menezes no ato de entrega da obra. “Essa é uma política permanente do Governo Municipal”.

Simultaneamente à construção da barragem, a Secretaria Municipal de Agricultura preparou um projeto de cultivo de árvores e hortas comunitárias no entorno do espelho d’água, que deverá ser posto em prática em breve. A ideia é que toda a comunidade se envolva no momento de iniciar o plantio.

Gilvan Nogueira: “A comunidade vai ganhar em muitas coisas”

‘Vai gerar frutos’ – Segundo o engenheiro agrônomo João Rubens Chagas, um dos responsáveis pelo projeto, há pelo menos três vantagens provenientes do cultivo de hortaliças: a melhoria da qualidade alimentar, o aproveitamento pedagógico, já que também os alunos da Escola Municipal Rui Barbosa podem participar da atividade, e a possível geração de renda para a comunidade, a partir da comercialização dos alimentos que venham a ser produzidos. “Tenho certeza de que essa horta comunitária vai gerar muitos frutos para os moradores”, observou Chagas.

Mazinho: “Barragem é um cartão postal do distrito”

Um desses possíveis frutos foi identificado pelo líder comunitário Gilvan Nogueira, que preside a associação de moradores dos povoados de Cortesia, Salitre e Campo Grande. “A comunidade vai ganhar em muita coisa”, disse Gilvan. “Quem precisar de um tomate ou de uma alface vai ter tudo aqui perto, produzido aqui”.

‘Patrimônio’ – O supervisor distrital Aliomar do Prado, o “Mazinho”, tem 63 anos e mora em Cercadinho há 56. Conheceu, portanto, a antiga tapagem. E, agora, volta a vê-la, ampliada e incrementada com o projeto de horta comunitária que será iniciado. “Essa barragem é um cartão postal do distrito”, empolgou-se. “Depende, agora, de a comunidade zelar por esse patrimônio”.