Na manhã desta quinta-feira (23), a prefeita Sheila Lemos, acompanhada da secretária de Saúde, Ramona Cerqueira, conheceu o projeto de implantação da Política Municipal de Cuidados Paliativos, apresentado pela diretoria da Casa do Amor, tendo à frente sua fundadora e administradora, Maria do Carmo Cândido, mais conhecida como Carminha. A Casa do Amor é uma instituição filantrópica que cuida de pacientes em tratamento de câncer em Vitória da Conquista.


A proposta da Casa do Amor é unir esforços com o Município e o Governo do Estado para oferecer na rede SUS cuidados paliativos para pacientes com câncer. Esses cuidados envolvem uma perspectiva multidisciplinar, buscando a melhoria da qualidade de vida dos pacientes e seus familiares, em casos de doenças que ameacem a vida. Isso, de acordo com o projeto, passa pela identificação precoce, prevenção e alívio do sofrimento, tratamento da dor e naturalização do processo da morte.

A prefeita Sheila Lemos elogiou a iniciativa, e confirmou o interesse do Governo Municipal em viabilizar. “Um projeto belíssimo, que iremos estudar a melhor forma possível para viabilizá-lo. Conheço o excelente trabalho da Casa do Amor e não tenho dúvidas de que será extremamente enriquecedor unir nossas forças para dar melhor assistência e dignidade aos pacientes com câncer”, enfatizou a gestora.


O médico Franklin Santana, que é voluntário na Casa do Amor e coordenador da Comissão de Cuidados Paliativos da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), falou sobre os importantes resultados que essa parceria poderá oferecer à população: “De tal maneira que o munícipe ou o usuário da Rede SUS de Vitória da Conquista possa ter uma rede de apoio e de assistência, onde ele possa ser cuidado em doenças que ameacem a sua vida, de forma mais completa, olhando seus aspectos psíquicos, sociais, espirituais e físicos, que é o que a Organização Mundial da Saúde preconiza”, explicou o médico.

A secretária Ramona Cerqueira lembrou que o Município tem um contrato com o Hospital Samur, desde 2017, para tratamento de pacientes com câncer, a Unacon. Para ela, a proposta da Política de Cuidados Paliativos vem ao encontro do atual trabalho do órgão. “Estamos ajustando a rede para que a Atenção Básica receba esses pacientes o mais precocemente possível, para que a gente trabalhe com um diagnóstico mais precoce a ponto de cuidar desse paciente da melhor forma possível”, declarou.

Também participaram da reunião o assessor especial do Gabinete Civil, Marcelo Melo, o advogado Osmar Abreu Santos e o médico Douglas Leandro Matos, voluntários da instituição.