O trabalho, de caráter permanente, visa recuperar estradas e criar reservatórios para o acúmulo de água pluvial

O trabalho do Governo Municipal na zona rural de Vitória da Conquista, por meio da Secretaria Municipal de Agricultura, destina-se, em grande parte, a possibilitar que o homem do campo tenha acesso a meios eficientes de suportar os efeitos da estiagem. Por outro lado, há o serviço, também permanente, de garantir que ele também possa transitar de forma segura pelas estradas rurais do município. Afinal, a liberdade de deslocamento e o acesso à água tratada são requisitos para a cidadania – e a Prefeitura atua para que ambos não faltem a nenhum morador.

Observe-se, por exemplo, o trabalho realizado somente no período que compreende o último mês de agosto e a primeira semana de setembro. Apenas para começar, cerca de quarenta famílias do Assentamento Afrânio, na região da Fazenda Salinas (próximo ao distrito de Inhobim), foram beneficiados com a construção de uma aguada com capacidade para acumular quase vinte milhões de litros de água.

Outra aguada, esta de médio porte, começou a ser construída no Assentamento Carlos Marighella, localizado na região do povoado de Pedra Branca. E, no leito do rio que passa pela região que compreende as localidades de Cachoeira das Araras, São Joaquim, Gameleira, São Mateus, Olho D’água dos Monteiros e Poço Comprido a Prefeitura abriu cerca de quarenta cacimbas. A água proveniente dessas pequenas aberturas no solo será consumida pelos animais dos moradores. De acordo com a lógica do Governo Municipal, os animais também devem ser protegidos dos efeitos da seca.

Afora a construção de aguadas em várias regiões da zona rural, a Prefeitura realiza a limpeza de várias outras já existentes. Tais ações seguem a lógica de que é necessário criar, no município, uma série de reservatórios para acumular água e evitar a possibilidade de futuros problemas causados por períodos de estiagem.

Direitos básicos – No que se refere à recuperação das estradas rurais, o trabalho segue receita semelhante no vasto perímetro rural do município. As máquinas fazem o trabalho de patrolamento, em alguns trechos aplicação de cascalho, nas estradas da região de Matinha, Cedro, Lixa, Lagoa de José Luís e Dantelândia. Em breve, este serviço chegará aos povoados de Poço Verde e Corta Lote.

O mesmo trabalho está em andamento também no trecho que vai do povoado de Pé de Galinha ao distrito de Iguá. De forma simultânea, as mesmas melhorias estão sendo levadas à estrada que liga o distrito de José Gonçalves aos povoados de Roseira e Lagoa da Visão, e ainda às da região de outro distrito, Bate-Pé.

Joel Fernandes

Importante lembrar que, antes de agosto, nada menos que oito aguadas de médio porte, com capacidade média de armazenamento de aproximadamente 60 milhões de litros de água, já haviam sido construídas: seis na região de Bate-Pé e duas na de Cercadinho. E várias outras estradas também já haviam sido recuperadas desde o início de 2013.

Odir Freire

Dessa forma, o Governo Municipal garante direitos básicos à comunidade rural de Vitória da Conquista. “O objetivo de todo esse trabalho é proporcionar aos moradores o direito de ir e vir, com o patrolamento das estradas, e garantir água para o consumo humano e, também, animal”, esclareceu Joel Fernandes, um dos coordenadores municipais de Infraestrutura.

“Temos desenvolvido ações em todas as regiões do nosso município, além das de infraestrutura, estamos com ações de Assistência Técnica, Projetos do Pronaf, Aração de Terras e outras iniciativas que a Secretaria vem desenvolvendo em apoio ao homem do campo”, disse o secretário municipal de Agricultura, Odir Freire.