Agentes culturais e bibliotecários da Biblioteca Municipal José de Sá Nunes participaram de uma formação do projeto Mundoteca, até a última sexta-feira (27). Entre os participantes estava a professora Sandra Oliveira, que é funcionária do local há 18 anos.

“Às vezes a gente tem muita prática e pouca teoria e essas formações vêm mostrar justamente esse outro lado, fazer essa junção da teoria com a prática, enriquecer nosso trabalho. É uma oportunidade para ampliar nossos olhares, são novas possibilidades pra a gente crescer e também para multiplicar o que estão passando pra a gente”, afirma a funcionária.

Na formação, a educadora Marta Maria Pinto Ferraz, especialista em leitura e literatura infanto-juvenil, falou sobre os vários tipos de leitura, outras formas de lidar com a leitura, além da leitura mediada e técnicas para contação de histórias. A educadora destacou que a formação é uma parceria entre o acervo e o mediador.

“A formação tem como grande objetivo formar o mediador-leitor, o agente cultural. Acredito que só um leitor forma novos leitores. Essa formação veio pra Vitória da Conquista por ser um lugar central e se deu porque a gente acredita que apenas entregar um acervo a uma comunidade, por mais cuidado que ele seja e por mais qualidade que ele tenha, fica um trabalho pela metade”, ressaltou a educadora.

Além do curso de formação do projeto, a Biblioteca José de Sá Nunes também recebeu 150 livros.

O projeto Mundoteca é realizado pela FGM Produções Culturais e conta com patrocínio das empresas Alupar e Taesa, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. Através dele, bibliotecas e espaços de leitura com ambientação e mobiliário próprio serão implantadas em três cidades da região – Poções, Planalto e Contendas do Sincorá – e em cinco comunidades quilombolas, pertencentes aos municípios de Bom Jesus da Serra, Barra da Estiva e Contendas do Sincorá.