A tradicional Feira de Orquídeas, promovida anualmente pela Associação Conquistense de Orquidófilos (Acor), com apoio da Prefeitura de Vitória da Conquista e de empresas locais, começou nesta sexta-feira (27), na Praça do Gil, e segue até domingo (29), oferecendo aos apreciadores uma grande variedade de espécies.

Segundo a secretária municipal de Meio Ambiente, Ana Cláudia Passos, o evento é uma das fontes de ampliação da flora do Orquidário Municipal, recém-inaugurado pela Prefeitura. “Muitas orquídeas são doadas ao Orquidário através dessa feira. As pessoas compram as plantas e doam para o Orquidário”, informa Ana Cláudia.

O vice-presidente da Acor, Raimundo Reis, afirma que a diversidade é uma característica da Feira de Orquídeas. “É um colorido espetacular. Plantas de todos os tamanhos, cores e preços. Desde uma plantinha de 10 ou 15 reais até uma planta de 200 reais, se a pessoa quiser algo bem especial”, explica Raimundo. “O importante é que todos participem e se sintam bem. Afinal de contas, a orquídeas fazem bem ao espírito de cada um”, defende o dirigente da Acor.

Raimundo Reis, vice-presidente da Acor

“Um encanto”

Essa lógica é compreendida pela contadora Ednei Marques, 54 anos, que gosta de flores em geral, mas mantém especial apreço pelas orquídeas – a ponto de cultivar cerca de 15 delas em casa. Na tarde de hoje, ela se ausentou do serviço por alguns minutos, apenas para olhar as mudas e escolher algumas. “Sempre fico atenta para visitar todas as feiras. Mas esta é especial, porque é de orquídeas. E eu quis ver umas novidades”, disse Ednei.

No fim das contas, sua coleção de orquídeas ganhou mais três exemplares, entre os quais uma catileia e uma schileriana – esta última, conhecida pelo perfume especial. “É um encanto. Um presente”, avaliou a contadora.

Ednei Marques comprou mais três mudas para sua coleção de orquídeas

Plantas cultivadas legalmente

Raimundo ressalta outro aspecto da Feira de Orquídeas, para além da beleza das flores: trata-se do propósito de oferecer aos orquidófilos plantas cultivadas de forma legal. Essa iniciativa, segundo ele, inibe o comércio clandestino de orquídeas. “Nosso pensamento sempre foi fazer com que a pessoa que gosta de orquídea e quer cultivar sua planta, ter uma coleção e embelezar sua casa ou seu escritório, possa ter plantas produzidas e tratadas legalmente”, explicou.

“Isso impede a ação de mateiros, que são pessoas que coletam ilegalmente, no meio ambiente, para vender. Tanto que, depois que nós começamos a fazer as feiras e exposições de orquídeas, isso diminuiu. Você quase não vê mais os mateiros atuando nas feiras”, argumentou Raimundo.

Veja algumas das variedades expostas na Feira de Orquídias: