A ação é constante, assim como o trabalho de prevenção realizado nas residências

Funcionários borrifaram inseticidas eficazes no combate a possíveis focos de larvas do Aedes Aegypti

A equipe do Centro de Controle de Endemias, setor ligado à Secretaria Municipal de Saúde, passou o final da tarde desta sexta-feira, 2, no terreno localizado ao lado do Departamento de Polícia Técnica de Vitória da Conquista. Percorrendo o amontoado de automóveis inutilizados, recentemente transferidos para o local, os funcionários borrifaram produtos como o Malation e a Alfacipermetrina, inseticidas eficazes no combate a possíveis focos de larvas do Aedes Aegypti, o mosquito transmissor da dengue.

Parte da população talvez não saiba, mas não se trata de uma ação pontual. Esse trabalho, periódico e de caráter preventivo, é realizado pela Secretaria Municipal de Saúde a cada quinze dias. Além da borrifação dos inseticidas, a equipe aplica nos veículos o organofosforado, o mesmo composto em pó utilizado pelos agentes de controle de endemias nas residências urbanas e rurais do município.

Além da borrifação dos inseticidas, a equipe aplica nos veículos o organofosforado

Trabalho constante – Por suas características, o depósito de veículos é classificado como um dos 121 pontos estratégicos existentes na cidade, nos quais se faz necessário esse trabalho de prevenção mais complexo e duradouro. Nesse grupo incluem-se borracharias, pontos de reciclagem e empresas que, devido a seu ramo de atuação, podem tornar-se locais propícios ao surgimento do mosquito.

Além desse tipo específico de prevenção, o Centro de Controle de Endemias executa o trabalho de tratamento focal nas residências, e mutirões nas localidades em que há maior número de casos notificados pela Secretaria Municipal de Saúde. A cada três meses, são realizados ciclos de coletas de dados sobre a infestação predial da doença. Em 2013, já foram realizados três ciclos – o terceiro apontou que o índice de infestação predial de Vitória da Conquista está em 2,9% (percentual menor do que o último ciclo que foi de 4,1%).

Polyana Gusmão, coordenadora do Programa de Controle de Endemias

População deve se prevenir – A coordenadora municipal de Endemias, Polyana Gusmão, aponta para uma necessidade: além de todo o trabalho realizado pelo Centro de Controle de Endemias, cabe à população também contribuir com o trabalho de prevenção contra a dengue. As informações extraídas dos ciclos de coletas de dados evidenciam que a maioria dos criadouros não está nos chamados pontos estratégicos, mas em residências. “É importante que cada morador retire dez minutos de seu tempo para fazer uma vistoria em sua residência: verificar como está seu quintal, sua calha, se está tudo limpo e se os reservatórios estão fechados”, ensina Polyana.

A coordenadora destaca, ainda, que os cuidados devem ser intensificados por conta do atual racionamento de água. Como a população recorre ao armazenamento de água em diversos recipientes, é necessário que as pessoas se preocupem em manter esses estoques devidamente fechados.