No último sábado, 20 de abril, crianças com idade entre 6 meses e 2 anos, gestantes, mulheres que tiveram filho nos últimos 45 dias, idosos com mais de 60 anos, trabalhadores da saúde e pessoas com doenças crônicas (com prescrição médica) aproveitaram a abertura das unidades de saúde e a disponibilização de postos estratégicos para se vacinar contra a gripe.

“Depois da vacina eu não tive mais gripe, antes de três em três meses eu gripava. Eu tomo todo ano”, conta Roterdam Brito, idoso que faz parte do grupo de risco para complicações da gripe e por isso foi priorizado pelo Ministério da Saúde na campanha de vacinação contra gripe. “Todas as pessoas com mais de 60 anos que se vacinaram passaram a viver mais depois da vacina, eu mesmo espero viver mais de 100 anos”, avalia Roterdam.

Para a mobilização, a Secretaria Municipal de Saúde disponibilizou mais de 600 trabalhadores que das 8h às 17h receberam a população nas unidades de saúde, praças, supermercados, igrejas, shopping, escolas, feiras, creches, etc.

“O dia D é uma estratégia muito importante para alcançar o maior número de pessoas que fazem parte do grupo prioritário desta campanha”, explica Elba Crisnia, coordenadora de Imunização.

Este ano o Programa Nacional de Imunização incluiu as mulheres que tiveram seus filhos nos últimos 45 dias, este foi o caso de Camila Botelho que foi até o Centro de Saúde Regis Pacheco para garantir a sua proteção. “Hoje em dia, meu filho é a coisa mais importante da minha vida e sei que eu tomando esta vacina vou está muito mais saudável para cuidar dele”, disse.

A vacina combate os principais vírus da influenza, que circulam principalmente durante o inverno: o vírus H1N1, H3N2 e influenza B. A campanha segue até o dia 26 de abril em todas as unidades de saúde. Em Vitória da Conquista, estima-se que 56.897 pessoas recebam a vacina. A meta do Ministério da Saúde é vacinar, pelo menos, 80% desse grupo.