O Centro de Controle de Endemias, em parceria com o Núcleo Regional de Saúde (NRS), realizou nessa segunda-feira (7) o Dia D de Combate ao Aedes aegypti, mosquito que transmite a Dengue, Zika e Chikungunya. A data simbólica tem o objetivo de demonstrar à população o trabalho realizado, em Vitória da Conquista, todos os dias no combate ao mosquito.

O coordenador do Centro de Controle de Endemias, Eliezer Silveira, ressaltou que essa é uma tarefa árdua e diária feita de casa em casa pelos agentes junto à população: “Nós temos repetido de forma incansável que se cada um não fizer a sua parte, esse trabalho não terá o resultado esperado. Tivemos um ano atípico com relação aos números de ocorrências das arboviroses, que foram mais elevados que nos anos anteriores. Porém esses números baixaram, mas se nós não cuidarmos, e não termos atenção, eles podem voltar a subir”, ressaltou.

O período epidêmico e também da pandemia da Covid-19 limitaram muito as ações de campo. “Intensificamos as capacitações dos profissionais, tentamos fortalecer o trabalho dos agentes de saúde e também de endemias, para que houvesse a informação em tempo hábil dos casos suspeitos e as ações pudessem ser tomadas da forma mais rápida possível, tanto em relação ao bloqueio, quanto ao atendimento e acompanhamento desses pacientes”, explica Tatiana Martins, técnica de arboviroses do Núcleo Regional de Saúde.

Ainda de acordo com Eliezer, com a pandemia, foram feitas várias notificações de pacientes com suspeita de dengue ou chikungunya que, na verdade, eram ocorrências de Coronavírus, ou o inverso disso. “Os sintomas da dengue e da chikungunya, especificamente, são muito parecidos com os sintomas da Covid. Então é importante que as pessoas estejam atentas caso de apresentarem algum dos sintomas, como febre, diarréia, dores no corpo, falta de ar, para fazer tanto o exame para dengue e chikungunya quanto para Covid-19”, esclarece.

Vale ressaltar que o período de verão, com temperaturas elevadas e muito chuvoso, traça o cenário ideal para os criadouros do Aedes aegypti. Por isso os cuidados devem ser redobrados diariamente em casa para eliminar qualquer água parada por mais uma de uma semana, que é tempo suficiente de reprodução do mosquito.