Após uma série de atividades oficiais de caráter técnico ao longo desta segunda-feira (5), incluindo visitas guiadas ao Centro Integrado dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cidca) e ao Complexo de Escuta Protegida, os integrantes da comitiva do governo de São Tomé e Príncipe encerraram a agenda do dia no Monumento do Cristo, no alto da Serra do Periperi, de onde puderam contemplar a vista panorâmica de Vitória da Conquista sob o pôr-do-sol.

Aos pés da estátua criada por Mário Cravo, cujo entorno passa por um processo de requalificação, a delegação foi recebida pela prefeita Sheila Lemos, acompanhada por membros do Governo Municipal e pelos vereadores Hermínio Oliveira – atual presidente da Câmara – e Luís Carlos Dudé.

A visita dos santomenses a Vitória da Conquista se deve ao acordo de cooperação Sul-Sul Trilateral Brasil, que envolve o governo brasileiro, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e o governo de São Tomé e Príncipe. O objetivo é que a experiência conquistense de implementação da Lei da Escuta Protegida sirva como referência para o governo do arquipélago africano.

Falando em nome dos visitantes, o diretor-geral da Política de Justiça (órgão vinculado ao Ministério da Justiça de São Tomé e Príncipe), Ernestino Aguiar, ressaltou as semelhanças existentes entre a população de seu país (cerca de 220 mil habitantes, bem menos que os 380 mil de Vitória da Conquista) e a da Bahia – o que serviu de base para que seu governo buscasse inspiração na forma como a Prefeitura de Vitória da Conquista aplicou a legislação que busca proteger crianças e adolescentes que foram vítimas ou testemunhas em casos de violência.

“Nós temos uma situação muito complicada de crianças que são vítimas de violências sexuais e violência de todo tipo. Então, estamos com o objetivo de tentar ultrapassar esses constrangimentos. Então, viemos cá para ver como é que é feito. Viemos beber de vossa experiência para replicarmos lá. Nesse sentido, é muito bom estar aqui em Vitória da Conquista para fortalecermos essa cooperação”, declarou o líder da comitiva.

“Hoje visitamos vários espaços daqui de Vitória da Conquista, relacionados com o projeto que estamos a desenvolver na questão da escuta protegida. Nós estamos a tentar ver como é que vocês fazem”, explicou Ernestino.

Ernestino Aguiar

Troca de experiências

Após conversar mais uma vez com o grupo – desta vez num ambiente de menor formalidade -, a prefeita Sheila Lemos reafirmou ser do interesse do Governo Municipal que a experiência conquistense seja repassada a outros contextos, dentro e fora do país. Afinal, foi por esse motivo que os visitantes e os anfitriões passaram a manhã em discussões sobre protocolos, fluxos de atendimento e tudo o mais que envolve a aplicação da Lei nº 13.431/2017 em âmbito local.

“Foi um dia de troca de muitas experiências. Conhecemos também como é lá em São Tomé e Príncipe, as dificuldades que eles têm. Nós também tivemos as mesmas dificuldades, isso foi muito interessante para que a gente possa entender que qualquer lugar do mundo pode, sim, conseguir fazer esse atendimento prioritário especializado na proteção da criança e do adolescente. Basta querer e ter a vontade política”, defendeu Sheila.

Sheila Lemos

O secretário municipal de Desenvolvimento Social, Michael Farias, também se referiu à disposição do município para compartilhar o know how conquistense sobre a aplicação da Lei da Escuta Protegida. “Isso referencia, mais uma vez, o nosso município como exemplo inspirador para outros municípios, estados e países, no sentido de construir respostas qualificadas para o enfrentamento das diversas violências”, explicou Michael.

“Caminho acertado e assertivo”

O Unicef, que atua na intermediação dos contatos entre o país africano e o município brasileiro, no âmbito da cooperação Sul-Sul Trilateral, reforça o discurso que coloca Vitória da Conquista numa posição de vanguarda, no que diz respeito à proteção de crianças e adolescentes em situação de violência. É o que diz Helena Oliveira, que atua como coordenadora do órgão internacional no território formado por Bahia, Minas Gerais e Sergipe: “Vitória da Conquista adotou um caminho muito acertado, muito assertivo e muito consequente, e que se refere à garantia dos direitos de cada criança e adolescente do seu município”.

Outra instância a participar do compartilhamento dessas experiências é a Agência Brasileira de Cooperação, ligada ao Ministério de Relações Exteriores. A analista de projetos do órgão, Carolina Sales, falou sobre a repercussão gerada pelos resultados da experiência conquistense. “Fizemos um estudo, junto com os colegas do Unicef, para identificar como seria a nossa melhor prática. Descobrimos aqui este equipamento todo que foi desenvolvido. Vitória da Conquista realmente foi o que nós encontramos de mais avançado e de melhor para poder oferecer essa cooperação aos colegas”, relatou Carolina.

Emmanuela, André Luiz, Caio e Amanda

Visitantes apreciam a vista

A comitiva de São Tomé e Príncipe e os representantes do Unicef e do Governo Federal não foram os únicos visitantes a passarem pelo Cristo de Mário Cravo nesta segunda-feira. Enquanto a prefeita Sheila Lemos recepcionava os convidados, outras pessoas, alheias à movimentação oficial, também apreciavam o pôr-do-sol e a vista proporcionada pelo mirante, ao mesmo tempo em que produziam selfies, ora tendo a cidade como fundo, ora virando-se para a direção da estátua do Cristo.

Entre essas pessoas, estava a capixaba Emmanuela Campagnaro, 45 anos, moradora de Vila Velha (ES), que via o monumento pela primeira vez. “Eu não conhecia. Achei bem bonito, interessante”, elogiou, sem se esquecer de mencionar a visão que o local proporciona a quem o frequenta: “Dá para ver a cidade toda, e é bom que a gente vê o quanto a cidade é grande. Eu nem imaginava que Conquista era tão grande assim”.

Emmanuela fez a visita ao lado da filha Amanda, 19 anos, do irmão André Luiz Campagnaro, 48, e do sobrinho (filho de André) Caio, 15. André, que é advogado e mora em Vitória da Conquista há mais de 20 anos, também apreciou o andamento da obra. “Falta alguma coisa para terminar, mas está muito bom. Bem aproveitado o espaço. É um ponto turístico a mais aqui em Vitória da Conquista”, avaliou.

Obra em estágio avançado

A requalificação da área do entorno do Cristo está em estágio avançado, segundo o secretário municipal de Infraestrutura Urbana, Jackson Yoshiura, um dos que recepcionaram a delegação de São Tomé e Príncipe ao lado da prefeita Sheila Lemos. “Estamos caminhando para mais de 60% da obra”, garantiu.

“O mirante já está bem avançado. Esta parte do concreto, a gente já concluiu. Agora, a gente vai trabalhar no piso da outra parte do mirante. E, depois, na requalificação do piso da área do Cristo, mesmo. A gente espera que, nos próximos meses, essa obra já esteja à disposição da população de Vitória da Conquista”, afirmou o titular da Seinfra.