Os conselheiros fazem análise técnica e sensorial

O consumo de alimentos de forma adequada proporciona ao aluno uma maior facilidade na hora de assimilar os conhecimentos, melhorando, consequentemente, o desempenho escolar. E para que esse alimento chegue aos estudantes da Rede Municipal de Ensino com a qualidade esperada é que o Conselho Municipal de Alimentação Escolar esteve reunido nas últimas semanas.

Os conselheiros, entre eles, nutricionistas que integram a Coordenação de Alimentação Escolar, analisaram as amostras dos alimentos dos fornecedores selecionados via processo licitatório, como macarrão, leite em pó, óleo, azeite, aveia, farinha de milho, feijão, entre outros.

“Fazemos análise sensorial e técnica em relação a sabor, cor, odor, textura do alimento, composição nutricional e marcas dos alimentos. Esse momento de avaliação dos produtos é de extrema importância do ponto de vista nutricional porque é a partir dela que avaliamos se o produto está de acordo à descrição técnica feita”, explicou a nutricionista e responsável técnica do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), Thaise Ferraz.

Os itens analisados fazem parte dos kits de Alimentação Escolar, cuja nova remessa será distribuída a partir desta semana pelas unidades de ensino, conforme a Lei Federal nº 13.987/2020. “Ou seja, toda a alimentação que é distribuída é avaliada aqui durante essas reuniões e é isso que vai fazer com que chegue um produto de qualidade ao aluno”, reforçou a presidente do Conselho, Niraíldes Cardoso.

O coordenador de Alimentação Escolar, Yuri Hatgivagiannis, lembrou que o cuidado com a alimentação dos alunos é uma prioridade da gestão municipal. “Cumprimos as regulamentações do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e do percentual nutricional exigido pelo Pnae. Tudo para propiciar uma alimentação saudável e nutritiva para os alunos”, enfatizou.