“A escola dos meus sonhos, ensinar e aprender com sentido” e “O desenvolvimento da competência leitora: novos desafios frente aos multiletramentos” foram os temas apresentados na manhã desta sexta-feira (11), durante o 1º Congresso Municipal de Educação, evento realizado junto com o 1º Festival de Educação e Cultura (Festeccon). O auditório lotado mostrou que o evento veio para ficar.

Professor há 61 anos, Moacir Gadotti abordou o primeiro tema. Ele falou da sua experiência e da necessidade de se fazer uma escola feliz e alegre. “Já sabemos que as crianças, jovens e adultos aprendem mais e melhor quando são felizes. Então, precisamos criar uma escola alegre e feliz. Esse é o meu sonho”. Para ele é possível que este sonho se torne realidade. “Nós temos essa maravilha de professoras e professores que têm tudo para fazer essa escola feliz”.

O escritor de livros infantis, César Obeid, disse ter ficado impressionado em ver tantos professores reunidos para falar e ouvir sobre educação, sobre literatura infantil. “Sou escritor de livro infantil e me sinto honrado e feliz de poder compartilhar um pouquinho do que eu vivo na minha vida cotidiana, diária, que é escrever livro, inventar histórias, fazer poesia, compartilhar com quem leva literatura para a sala de aula. Estou muito feliz e muito agradecido”.

Esporte para Além das Fronteiras

A manhã foi abrilhantada com eventos de artes marciais do Projeto Esporte para Além das Fronteiras, parceria da Prefeitura com os Irmãos Nogueira (Minotauro e Minotouro), desenvolvido com alunos da Escola Municipal Lycia Pedral. Também houve a apresentação da fanfarra da Escola Cláudio Manuel da Costa e show do Robozão.

Ainda nesta manhã, o Festeccon recebeu uma visita especial das “mães de UTI”, ou seja, mães que têm seus filhos, bebês, internados na UTI do Hospital Esaú Matos, estiveram presentes no evento. Elas assistiram à programação do Planetário Municipal Professor Everardo Públio de Castro e visitaram os estandes, com destaque para o do Núcleo de Educação Especial.

Segundo a coordenadora do Grupo de Humanização do Esaú Matos, Cristiana Moura, o Festeccon foi a oportunidade de tirar essas mães do ambiente hospitalar para um local mais tranquilo, mais acolhedor, onde elas pudessem distrair a mente e compartilhar um pouco da cultura de Vitória da Conquista. “Tivemos a iniciativa de tirá-las do ambiente hospitalar, que é tão preocupante para elas que estão com os bebezinhos lá, e ficam o todo tempo preocupadas”, disse.

A professora Alanda Batista, mãe de UTI, aprovou a iniciativa da Fundação. “Nós passamos a maior parte do nosso dia lá no hospital, junto com os nossos bebês, e essa iniciativa de nos trazer para conhecer este ambiente é muito importante, porque distrai um pouco. Ficamos muito focadas naquele ambiente, tensas, achei legal a iniciativa”.

Mães de UTI