Só havia registro de aparecimento do réptil em Mucugê

Um lagarto da família Gymnophthalmidae (Heterodactylus septentionalis) foi capturado na área do Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), no último dia 1º de fevereiro. A espécie é considerada rara pelos pesquisadores e, até o momento, em todo o território nacional, só havia sido encontrada na região de Mucugê, na Chapada Diamantina.

O réptil tem aparência singular, com corpo e cauda extremamente alongados, em torno de 12 cm de comprimento. Além disso, ele habita áreas de climas frios associados com altas latitudes, em torno de 1000 metros, e rochosas, como é a Reserva Florestal do Poço Escuro, área em que o Cetas está localizado, conforme salientou o coordenador do órgão, Aderbal Azevedo.

O exemplar foi encaminhado esta semana para estudos genéticos e morfológicos de pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP). Em carta de agradecimento enviado ao Cetas, o pesquisador Miguel Trefaut salientou que a presença da espécie na área do centro torna a preservação do habitat onde ele está instalado, de alta relevância para a conservação.

“Sua presença no Cetas indica a alta qualidade do habitat onde foi encontrado”, enfatizou Miguel Trefaut, que é herpetólogo e professor titular no Departamento de Zoologia do Instituto de Biociências.

O aparecimento de uma espécie tão rara, além disso, complementa Aderbal, é indicativo da importância de todo o trabalho de preservação que a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), órgão ao qual o Cetas está vinculado, realiza na Reserva Florestal do Poço Escuro.