A Secretaria Municipal de Educação (Smed), promoveu o curso de Língua Brasileira de Sinais (Libras), sob a responsabilidade da Central de Interpretação de Libras (CIL), com o objetivo de favorecer a disseminação da Libras na sociedade e possibilitar condições para uma comunicação essencial com a pessoa surda, contribuindo para sua inclusão social. Ontem (20), foi realizada a aula de encerramento com posterior confraternização entre professores e alunos, no auditório do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA).

A gerente da CIL, Jaqueline França, afirmou estar muito feliz por contribuir com o desenvolvimento do curso porque é muito importante que as pessoas se permitam conhecer o universo da Libras e se sintam incluídas nessa realidade. “O ato de se comunicar com as pessoas com surdez não é questão somente de linguística, e sim de empatia. Desejo que todos prossigam com o desenvolvimento da aprendizagem através dos nossos cursos. Em breve estaremos publicando mais turmas de cursos de Libras básico e intermediário”.

Curso – com o retorno das aulas presenciais e das atividades, o curso pôde ser oferecido de forma presencial. Foram quase 200 alunos frequentes, divididos em duas turmas, com encontros semanais todas às segundas e quartas-feiras à noite. Ao todo, foram realizados 12 encontros. Além de Jaqueline, os cursos também foram ministrados pelo servidor da Rede Municipal de Ensino, Quedisson Prado (nas segundas-feiras), e um professor convidado, Tito Gomes (nas quartas-feiras).

Tito, Jaqueline e Quedisson