Em 17 anos de funcionamento, 7.405 pacientes já passaram pelo Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas III (CAPS AD III) e receberam atendimento e acompanhamento multiprofissional. Para comemorar, o serviço celebrou a data, na quinta-feira (31), com pacientes, funcionários, familiares e amigos.

“Minha vida mudou muito através do Caps. Há mais ou menos cinco anos, eu decidi mudar de vida com o incentivo da psicóloga Suzi Keila. O Caps me ofereceu um ambiente de acolhimento muito fundamental para minha mudança e me forneceu instrumentos que me fizeram parar de usar qualquer substância. Em cinco anos, eu não tive nenhuma recaída”, conta Murilo Cordeiro (44), paciente do serviço desde 2012.

Para Murilo, o CAPS é a sua segunda casa.

Atualmente, são 1340 pacientes ativos no serviço que lida com o constante desafio de cuidar das pessoas em sofrimento. “É muito difícil as pessoas confiarem as suas fragilidades a alguém e aqui nós temos isso, essa confiança com os usuários. Há 17 anos, o serviço trabalha dessa forma, acolhendo as pessoas respeitando as suas histórias, ofertando para elas a melhor forma de cuidado possível”, destaca Aracely Schettine, gerente do CAPS AD III.

Além do cuidado com os pacientes, os familiares que acompanham de perto o tratamento também são cuidados pelo serviço, como é a história de Dona Antônia Ribeiro. Ela acompanha o tratamento do filho Carlos André, que está no serviço há quatro anos. “Graças a Deus está sendo muito bom. Eu não tenho do que reclamar. Foi aqui que eu também encontrei o apoio pra seguir na luta porque ele depende de mim pra tudo. Ele gostou muito daqui. Se deixar, ele vem todo dia”, conta ela.

A confraternização contou com um café da manhã, dinâmicas, sorteios e um bolo de aniversário. “Todo dia, se nós pudéssemos, faríamos uma festa, porque cada dia vencido é muito importante para todos nós aqui. Precisamos comemorar com eles, porque eles são a alma do nosso serviço”, finaliza a gerente.