A Secretaria Municipal de Educação (Smed), por meio do Comitê Gestor Intersetorial do Busca Ativa Escolar, realizou nesta terça-feira (14) o dia “D” com os Centros de Referência da Assistência Social (Cras) em parceria com representantes das secretarias de Saúde (SMS), Desenvolvimento Social (Semdes), Desenvolvimento Econômico (SMDE) e também do Conselho Tutelar. O objetivo foi traçar estratégias para reintegrar alunos que ainda não retornaram à rede de educação com as aulas presenciais, cujas ações devem ser imediatas, aproveitando o período que antecede as matrículas para 2022. O evento aconteceu em diversas localidades no município.

Participando da reunião com o Cras I, no Centro Municipal de Educação Prof.° Paulo Freire (Caic), a coordenadora operacional do Busca Ativa Escolar, Emília Guimarães, informou que as estratégias propostas são uma parceria mais fortalecida com as instituições do Judiciário que atuam na defesa da criança e do adolescente. Ela acrescentou: “as listas dos alunos que não estão frequentes serão encaminhadas aos Cras e também terá o apoio da Secretaria de Saúde, para que com os cadastros do Auxílio Brasil (antigo Bolsa Família) e cartão SUS, seja mais fácil localizar o aluno e sua família”. Também foi sugerido que no ato da matrícula seja apresentado o número do Cartão SUS do aluno e o número de CPF e Identificação Social (NIS) do responsável.

A gerente do Cras I no Bruno Bacelar, Adriana Matos Marinho, esclareceu que o Cras faz um trabalho social com as famílias mais vulneráveis dos territórios de área de abrangência do Centro, ofertando serviços socioassistenciais como o Programa de Atenção Integral à Família (Paif), o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV), o Programa Primeira Infância, e o Auxílio Brasil (antigo Bolsa Família). “Também fazemos encaminhamento para a rede socioassistencial, territorial, para o sistema de garantia de direitos e este trabalho em conjunto a educação é de suma importância. É válido o trabalho intersetorial e estamos juntos, disponíveis para ajudar nesta Busca Ativa dos alunos que evadiram da escola ou estão em risco de evadir”, disse.

A coordenadora de Ações para Promoção e Prevenção à Saúde da SMS, Mickaella Oliveira França, destacou este trabalho realizado em conjunto pelas secretarias. “Estamos aqui discutindo sobre a importância de estar fazendo o levantamento destas informações, a busca destas crianças. Sabemos que várias variantes envolvem elas estarem evadindo da escola e precisamos entrar e atuar”. Diante das dificuldades apresentadas quanto a endereços e telefones, destacou que a importância de consultar através dos dados do CadÚnico e do cartão SUS, pois são dados que as famílias estão sempre atualizando.

A moradora da Urbis V, Fátima Amorim, que hoje trabalha na abordagem social e já foi professora, elogiou a Smed pela reunião. “Quando a Smed traz essa reunião, colocando o tripé muito necessário, educação, saúde e assistência social, para trabalhar juntos, com certeza teremos muitas vitórias sobre a evasão escolar”.