Pessoas de todas as idades podem aproveitar o período de férias viajando pelo mundo mágico da leitura. Para isso, basta visitar a Biblioteca Municipal José de Sá Nunes, um espaço destinado à cultura, informação e educação. Mantida pela Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista, a biblioteca dispõe de um acervo formado por 44 mil exemplares, entre livros didáticos, de literatura e infantojuvenis, além de enciclopédias e periódicos.

Todos os dias, o local recebe a visita de dezenas de pessoas. O cadastro é composto por mais de 12 mil leitores e cerca de 200 livros são emprestados mensalmente. Para fazer a carteira da biblioteca basta se dirigir à Avenida Jonas Hortélio s/n, no Bairro Recreio, com uma foto e comprovante de residência. O funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 8 às 18h.

Democratização da leitura – Para ampliar o acesso das pessoas com deficiência visual à cultura, à informação e às fontes de pesquisa, a Biblioteca Municipal José de Sá Nunes conta com mais de mil livros em braile. São clássicos da literatura nacional e estrangeira, livros de poemas, livros didáticos, de crônicas, de sociologia, de economia, literatura infantojuvenil e até mesmo a Constituição Brasileira.

Além dos livros e periódicos, outra opção oferecida é o Centro Digital de Cidadania (CDC), um espaço que garante à comunidade acesso às tecnologias da comunicação e informação através da internet e de um conjunto de programas e softwares. Os 750 m² de área da Biblioteca Municipal contam também com salão de entrada, espaço infantil, salas de estudo, pesquisa, serviços técnicos, referência, triagem de livros provenientes de doações, cozinha e banheiros.

No local também funciona o Ponto Literário, projeto idealizado pela Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista, em parceria com o Programa Nacional de Incentivo à Leitura (Proler) da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb). Por meio do projeto, livros provenientes de doação são distribuídos para bibliotecas comunitárias.

História – A Biblioteca Municipal José de Sá Nunes foi criada a partir de uma sala de leitura que tinha um acervo composto por obras doadas por personalidades ligada às letras e funcionava, desde 1952, em um pequeno espaço na Praça Joaquim Correia. O local ganhou status de biblioteca a partir de um decreto assinado em 16 de junho de 1958. No mesmo ano, a biblioteca foi registrada no Instituto Nacional do Livro (INL).

Em 1963, a biblioteca foi transferida para o Instituto de Educação Euclides Dantas, onde permaneceu até junho de 1964. Em 1978, atendendo aos apelos de um número cada vez maior de leitores e estudantes, seu espaço físico foi ampliado, mas, ainda assim, não conseguiu comportar o acervo.

Foi então transferida novamente, desta vez para um casarão localizado na Praça Tancredo Neves (que, hoje, abriga o Centro de Convivência do Idoso), onde funcionou até 15 de novembro de 1991, quando a biblioteca foi finalmente instalada no prédio em que funciona atualmente.

Em 1999, na gestão do prefeito Guilherme Menezes, a Biblioteca Municipal José de Sá Nunes passou por reformas, através do convênio 212/98, com o Ministério da Cultura, e foi reativada.