Auditório da Faculdade Santo Agostinho

A Prefeitura de Vitória da Conquista, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Semdes) realizou, na sexta-feira (8), no auditório da Faculdade Santo Agostinho, um seminário sobre o atendimento aos imigrantes refugiados. O objetivo foi dar visibilidade aos imigrantes refugiados que tiveram que se deslocar forçadamente, informando e sensibilizando a comunidade, as famílias e toda sociedade sobre este tema.

O encontro contou a participação presencial da analista social do Serviço Jesuíta a Migrantes e Refugiados (SJMR), Rosiane Trabuco de Oliveira, e virtuais das representantes da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), Camila Sombra e Lyvia Barbosa.

Michael Farias

Segundo relatório da ACNUR, os refugiados já somam 89 milhões de pessoas em todo mundo. No Brasil, já são mais de 60 mil reconhecidos pelo governo brasileiro, sendo 80% deles venezuelanos. Em Vitória da Conquista, de 2020 até agora já passaram mais de 100 imigrantes que foram acolhidos pela rede municipal de assistência social e sociedade civil organizada.

“Desde que os primeiros refugiados chegaram em nossa cidade, em 2020, estamos atuando de modo intersetorial para garantia dos direitos desse público. Implantamos um comitê com participação de diversos órgãos do município, do sistema de justiça e sociedade civil e também e designamos uma técnica de referência na Semdes para esta demanda” explicou o secretário da Semdes, Michael Farias.

Rosiane Trabuco

Para Rosiane Trabuco de Oliveira, que falou sobre o tema “O trabalho de acolhida realizado pelas Organizações da Sociedade Civil”, Vitória da Conquista como grande centro, se tornou uma possibilidade para os refugiados e está organizada para esta demanda. “Conquista é um ponto focal para refugiados, por ser uma cidade de grande porte. O trabalho de acolhimento que vem sendo desenvolvido pelo Município faz com que eles se sintam acolhidos na cidade e eu vejo que a gestão faz, na prática, o que está previsto na legislação”, declarou Rosiane.

José Raimundo

Quem também participou do seminário, foi o coordenador regional da Defensoria Pública, José Raimundo Campos, que na oportunidade agradeceu à Semdes pela realização do evento que, segundo ele, é muito importante para o momento que estamos vivendo no Brasil e no mundo. “A Semdes nos convidou desde o primeiro momento para atuarmos juntos nesta demanda. A própria defensoria tem realizado ações como esta para preparar o defensor público para esta nova demanda”, esclareceu José Raimundo.

Além de apresentações sobre a situação internacional e nacional, a equipe da Semdes apresentou a experiência do atendimento a este público nos últimos dois anos. “Compartilhar a nossa experiência de quase dois anos de atendimento é uma forma de dar visibilidade a este tema que é pouco conhecido pela sociedade e é uma forma de oferecer o melhor atendimento a essas pessoas buscando assegurar os direitos que são garantidos pela Lei da Migração”, salientou a gerente de Proteção de Média Complexidade, Tainá Alves.