Programa garante a compra direta de produção dos agricultores familiares de Vitória da Conquista

A Prefeitura de Vitória da Conquista aderiu, pela décima vez, ao Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) do Governo Federal que tem por objetivo garantir o acesso a alimentos em quantidade, qualidade e regularidade necessárias às populações em situação de insegurança alimentar e nutricional, além de fortalecer a agricultura familiar.

O programa é gerido pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Semdes), por meio da Coordenação de Segurança Alimentar e Nutricional (Cosan). Nesta edição, que iniciou no final do ano passado, o Governo Federal disponibilizou o valor de R$ 600 mil reais para compra de produtos dos 253 agricultores familiares cadastrados do programa. Cada agricultor pode receber o valor de até R$ 6.500 reais por ano.

“A adesão a este programa é essencial para o Governo Municipal pois fortalece a agricultura familiar e garante a muitas famílias conquistenses o acesso à alimentação. O PAA movimenta toda uma cadeia que garante a compra direta do agricultor familiar até o seu consumidor final, que são os usuários da rede socioassistencial” ressaltou o secretário da Semdes, Michael Farias.

Todo alimento adquirido está sendo encaminhado para 55 entidades públicas e privadas cadastradas, tendo um alcance de 10 mil pessoas aproximadamente. “Com isso, a Prefeitura está melhorando a qualidade da alimentação ofertada nestes serviços, possibilitando a inclusão social, o fortalecimento da agricultura familiar e o enfrentamento da insegurança alimentar e nutricional” explicou a coordenadora da Cosan, Karine Barros.

Evaristo Higino participou de todas as edições do PAA fornecendo produtos diversificados como banana, batata, couve e feijão de sua propriedade, localizada no distrito no povoado de Dantilândia. “Estou neste programa, desde o começo. Eu sou um dos agricultores que mais faz entrega aqui. O programa é muito bom, porque a gente já tem o lugar certo de entregar nossa produção”, comentou Evaristo.

Já o produtor Carlos Brito Freitas, da Limeira, que também entrega produtos diversificados, fornece conforme a produção de sua roça. “Hoje eu trouxe milho, na semana passada foi jaca, na outra manga. Para mim foi a melhor coisa que aconteceu, porque não é todo momento que a feira pega o produto da gente no valor que vale a pena. Tem hora que é preferível deixar perder na roça do que trazer para a Ceasa. Aqui sempre foi vantagem, porque o preço é tabelado” avaliou Carlos.

A APAE é uma das 55 entidades beneficiadas com o PAA

Após a entrega dos produtos, a equipe da Cosan organiza os kits que serão entregues para cada entidade inscrita no PAA. Uma delas, é a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), que participou de todas as edições do programa. “Nós pegamos o kit a cada quinze dias e distribuímos para os 540 usuários e suas famílias. Antes da pandemia, nós utilizávamos os produtos na produção das três refeições que são servidas na APAE. Esse programa ajuda demais, primeiro porque beneficia os pequenos agricultores e também porque conseguimos oferecer refeições de qualidade para nossos usuários”, declarou a coordenadora da Apae em Vitória da Conquista, Leda Freitas.